mm1 mm2 mm3mm4 mm5 mm6 mm7


28
jun 2017

ARQUIVADO EM: Cinema & TV Literatura

O livro Depois Daquela Montanha, de Charles Martin (publicado pela Editora Arqueiro) já havia atraído a minha atenção. Duas pessoas desconhecidas, após um acidente, acabam sozinhas isolados a quase 3.500 metros de altitude, numa extensa área de floresta coberta por quilômetros de neve. Já dá para imaginar que será uma história emocionante né?

Mas, confesso que o que me fez realmente querer começar a leitura foi o trailer do filme. Sim, Depois Daquela Montanha foi adaptado para os cinemas, com lançamento no segundo semestre de 2017. Os personagens principais são interpretados pela maravilhosa Kate Winslet e pelo incrível Idris Alba.

Então, eu e a Ju Oliveira (Cantinho Ju Oliveira) decidimos fazer a leitura desse livro juntas, começando no dia 1º de julho. E claro, vocês estão mais do que convidados!

O Dr. Ben Payne acordou na neve. Flocos sobre os cílios. Vento cortante na pele. Dor aguda nas costelas toda vez que respirava fundo. Teve flashes do que havia acontecido. Luzes piscavam no painel do avião. Ele estava conversando com o piloto. O piloto. Ataque cardíaco, sem dúvida. 

Mas havia uma mulher também – Ashley, ele se lembra. Encontrou-a. Ombro deslocado. Perna quebrada. Agora eles estão sozinhos, isolados a quase 3.500 metros de altitude, numa extensa área de floresta coberta por quilômetros de neve. Como sair dali e, ainda mais complicado, como tirar Ashley daquele lugar sem agravar seu estado? À medida que os dias passam, porém, vai ficando claro que, se Ben cuida das feridas físicas de Ashley, é ela quem revigora o coração dele. Cada vez mais um se torna o grande apoio e a maior motivação do outro. E, se há dúvidas de que possam sobreviver, uma certeza eles têm: nada jamais será igual em suas vidas.

 

Estou bastante animada com a leitura, só vi comentários positivos. E quero muito ver se o filme será ao menos parecido. Já me disseram que o final é surpreendente, quero conferir. Quem se anima a fazer a leitura com a gente?



27
jun 2017

ARQUIVADO EM: Literatura

Autora: Nicola Yoon

Título Original: Everything, Everything

Editora: Arqueiro

Número de Páginas: 280

Avaliação: 4/5

Onde Comprar: Amazon | Americanas | Saraiva | Submarino

Sinopse: Tudo envolve riscos. Não fazer nada também é arriscado. A decisão é sua. A doença que eu tenho é rara e famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Não saio de casa. Não saí uma vez sequer em 17 anos. As únicas pessoas que eu vejo são minha mãe e minha enfermeira, Carla. Então, um dia, um caminhão de mudança para na frente da casa ao lado. Eu olho pela janela e o vejo. Ele é alto, magro e está todo de preto: blusa, calça jeans, tênis e um gorro que cobre o cabelo. Ele percebe que eu estou olhando e me encara. Seu nome é Olly. Talvez não seja possível prever tudo, mas algumas coisas, sim. Por exemplo, vou me apaixonar por Olly. Isso é certo. E é quase certo que isso vai provocar uma catástrofe.

O livro conta a história de Maddie, uma jovem que possui uma doença rara, um tipo de “alergia do mundo” que deixa seu organismo fragilizado e por essa razão, ela nunca saiu de casa. A moça, que já estava de certa forma conformada com as limitações de sua vida nesses 18 anos de reclusão, se vê confusa com a chegada de Olly, o novo vizinho, e a faz se questionar se a vida que ela conheceu até aquele momento, é suficiente.

“E então eu o vejo. Ele é alto, magro e está todo de preto: blusa, calça jeans, tênis e um gorro que cobre o cabelo. Sua pele é branca, mas levemente bronzeada, e suas feições são angulosas. Ele pula da traseira do caminhão e atravessa a rua. Dá a impressão de que a gravidade o afeta de um jeito diferente. Ele para, inclina a cabeça e olha para a casa nova como se estivesse diante de um quebra-cabeça.” (Página 26)

Em princípio, Maddie, que vive reclusa em sua casa na companhia apenas de sua mãe que também é sua médica, e da generosa enfermeira Carla, que a conhece desde criança. Fica curiosa a respeito daquele jovem tão livre que acaba de chegar. O mesmo acontece com ele, que se vê encantado pela misteriosa vizinha que o observa pela janela todos os dias.

“Pela primeira vez em muito tempo, desejo mais do que aquilo que tenho.” (Página 75)

O romance de Olly e Maddie se desenvolve de forma lenta e gradativa, bem agradável para quem lê, pois assim podemos acompanhar todo o desenrolar desse amor impossível.

“E é esse desejo que me puxa de volta à Terra com toda a força. O desejo me dá medo. É como uma erva daninha que se espalha devagar e mal percebemos. Quando nos damos conta, ela já cobriu as paredes e tapou as janelas. (Página 76)

A história é cativante e encantadora, e mesmo abordando um tema tão pesado quanto uma doença respiratória rara, não cansa nem entristece quem lê. Pelo contrário, a autora conduz com muita delicadeza as nuances dessa trama, fazendo com que o leitor descubra as limitações de Maddie e se deixe guiar por suas descobertas.

“- É sempre assim? – pergunto, ainda sem fôlego.

– Não – responde ele. – Nunca é assim.

Percebo o encantamento em sua voz.

E assim, do nada, tudo muda. (Página 118)

Olly é um fofo e foi de suma importância nessa transição, afinal, foi por causa dele e de seu amor, que Maddie começou a questionar sua vida, a perceber que não conhecia nada de fato e que os desafios de viver envolvem muito mais do que ela poderia imaginar.

“Antes de conhecê-lo, eu era feliz. Mas agora estou viva, e as duas coisas são bem diferentes.” (Página 160)

Porém, nem tudo foi perfeito nesse livro, um determinado fato no final me incomodou profundamente. Fato esse, que não mencionarei aqui para não correr o risco de dar spoiler. Mas, achei completamente fora de contexto e desnecessário, esperava uma solução melhor, tendo em vista a história tão linda e bem amarrada que Nicola Yoon escreveu. Enfim…

Com uma narrativa leve e fluida, Tudo e todas as coisas é um livro lindinho e cheio de clichês, mas super válido para aqueles que estão a procura de mais amor e doçura em suas vidas.

“A matemática de Olly diz que é impossível prever o futuro. Acontece que também é impossível prever o passado. O tempo flui nas duas direções – para frente e para trás -, e o que acontece aqui e agora altera tanto um quanto outro.” (Página 227)



23
jun 2017

ARQUIVADO EM: Lançamentos Novidades

Estamos na metade de junho e com muitos lançamentos para falar. Sim, muitos!

Entrando no site de varias editoras e de lojas vi que só esse mês temos 69 lançamentos. Então, vamos lá?!

PLATAFORMA 21

Você já leu e gostou de “Gartotas de Vidro” ou “Os 13 Porquês”? Então esse livro também vai te interessar. Tem aquele toque de mistério, suspense e drama. Lynn Weingarten fala sobre um suicídio, ou possível assassinato, no livro Notas Suicidas de Belas Garotas.

June sempre foi solitária. Até conhecer Delia Cole no sexto ano do colégio. Elas se tornaram inseparáveis, compartilhando a perda da inocência e o florescer da malícia na adolescência.
Para June, não havia ninguém como sua melhor amiga. Delia era a garota mais bela do mundo quando sorria, e incendiava aqueles que a rodeavam. Embora, às vezes, se tornasse fria e sombria. As duas acreditavam que nada poderia separá-las… até aquela estranha noite que as afastou por um ano – e depois para sempre.
Quando o vice-diretor da escola North Orchard anuncia que Delia está morta, uma onda de angústia toma conta de June. Dois dias antes, a amiga havia ligado para ela, mas June ignorou as chamadas.
Todos dizem que Delia ateara fogo no próprio corpo. Sua melhor amiga havia se matado. June não consegue aceitar. Delia não seria capaz disso. Ou seria? Então, quando bilhetes póstumos da amiga começam a chegar, June se convence de que ela fora assassinada. Alguém estava mentindo nessa história, e a lista de suspeitos é perturbadora.

O que June fará quando toda a verdade vier à tona?

Páginas: 328

 

DARK SIDE

Para continuar com a linha de suspense e mistério nada mais justo do que apresentar um dos lançamentos dessa editora. Para quem conhece sabe o capricho e dedicação para todos os livros feitos, são um preço mais alto, mas vale super a pena. O livro Noturno, Scott Singler, tem uma pegada policial e promete agradar todos que gostam desse gênero.

Você já teve um sonho que jurou ser real? Ou até mesmo aquela sensação de déjà-vu ao passar por um lugar em que com certeza nunca esteve? Agora imagine se esse local for uma cena de crime e você, um detetive de homicídios? Para piorar: e se, nos sonhos, você fosse o próprio assassino para, num piscar de olhos, acordar e estar no mundo real com uma pessoa morta aos seus pés?

É exatamente essa a situação em que Bryan Clauser, um policial de San Francisco, se encontra. Como aconteceria a qualquer um de nós, ele pensa que está perdendo a cabeça — mas os pesadelos, infelizmente, são muito reais. Junto com o parceiro Pookie Chang e a ex-namorada Robin, Bryan começa a investigar os crimes que, de alguma forma, ele vê em primeiríssima mão, no momento em que estão sendo cometidos. A questão que não quer calar é: quem está cometendo esses assassinatos?
Quando as investigações levam Bryan e Pookie a um adolescente chamado Rex Deprovdechuck e ao fato de que todas as vítimas mortas faziam bullying com ele no colégio, os dois acham que o mistério está praticamente no fim — e que Bryan será inocentado. No entanto, quanto mais o detetive explora esse mistério, mais ele descobre sobre uma conspiração e um estranho culto que opera em San Francisco praticamente desde a sua fundação. Existe uma cidade viva e faminta nas sombras — e ela pode colocar todo o mundo em risco.

Páginas: 512 

 

VERUS

Ta saindo mais uma colação de livros de romance? Tá sim! A coleção se chama “Noivas da Semana” e o primeiro livro é o Casada até Quarta, Catherine Bybee.. Quem ai esta ansioso para conferir esse novo romance?

Blake Harrison: rico, nobre, charmoso… e precisando de uma esposa até quarta-feira. Para isso, Blake recorre a Sam Elliot, que não é o homem de negócios que ele esperava. Em vez disso, ele encontra Samantha Elliot, linda e exuberante, com a voz mais sexy que ele já ouviu.
Samantha Elliot: dona da agência de casamentos Alliance, ela não está no menu de pretendentes… até Blake lhe oferecer milhões de dólares por um contrato de um ano. Não há nada de indecente na proposta dele, e além disso o dinheiro vai ser muito útil para quitar as contas médicas da família dela. Samantha só precisa disfarçar a atração que sente por seu novo marido e evitar a todo custo a cama dele.
Mas os beijos ardentes de Blake e seu charme inegável se provam muito difíceis de resistir. Era um contrato de casamento que previa tudo… menos se apaixonar. Agora só resta a Samantha proteger seu coração até que o contrato chegue ao fim.

Páginas: 196

HARPERCOLLINS BRASIL

Que livro de cachorro não amolece o coaração das pessoas? Quer uma leitura leve, divertida e emocionante? Então conheça a historia de Gonker no livro Procura-se Meu Melhor Amigo, Pauls Toutonghi.

Outubro de 1998. Virgínia, nos Estados Unidos. Fielding Marshall estava fazendo uma trilha nas montanhas apalaches da Virgínia quando seu cão, um golden retriever de seis anos chamado Gonker, desapareceu. O pior de tudo: Gonker sofria da doença de Addison e, por isso, precisava receber injeções de tempo em tempo.
O relógio estava correndo: Fielding sabia que, se não o encontrasse, seu cachorro morreria. Durante semanas, a família Marshall fez seu melhor para manter a esperança viva enquanto buscavam por Gonker – mãe, pai e filho faziam de tudo para buscar seu bicho de estimação. Gonker estava doente, Gonker estava perdido, Gonker tinha que ser encontrado. A história de Gonker é bem familiar.
É uma história sobre dever e morte, sobre a maneira como nosso passado molda o presente, e também sobre a maneira como, em momentos de crise, abraçamos fervorosamente nossos papeis mais importantes. Trata-se de uma história sobre responsabilidade, doença, abuso, gerações de uma mesma família e o poder do amor.

Páginas: 272

 

SEXTANTE

Provavelmente você já leu ou assistiu o “A Cabana”. O escritor, William P. Young, publicou um livro sobre As Mentiras Que Nos Contam Sobre Deus, se você, ou alguém proximo, gostou do outro livro do autor, vale dar uma chance o novo.

William P. Young já vendeu 4,5 milhões de livros no Brasil. Depois do sucesso de A cabana, A travessia e Eva, que já venderam mais de 22 milhões de exemplares, William P. Young apresenta um livro que nos estimula a repensar algumas das suposições da fé cristã que raramente questionamos. Seguindo a mesma visão revolucionária de Deus e da Criação que emocionou leitores do mundo inteiro, desta vez Young esclarece as lições mais profundas de suas narrativas ficcionais.
Pontuado por histórias da vida do autor e escrito numa linguagem simples, direta e cativante, o livro nos faz refletir sobre as crenças equivocadas que atrapalham nosso relacionamento com Deus, nos afastando da mensagem de amor difundida nos evangelhos.
Colocando a figura de Jesus e seus ensinamentos em primeiro plano, o autor discute questões essenciais para a compreensão da mensagem de fé e libertação dos evangelhos: Afinal, o inferno existe? Os pecados são capazes de nos afastar de Deus? Será que devemos nos comportar de determinada maneira para sermos dignos do amor de Deus?

Páginas: 160

 

ROCCO

Todo mundo conhece a fabulosa Jane Austen e os diversos livros abordando essa temática. Se você gosta da autora e de outros livros que aparecem esse cenário, vai gostar do Jane Austen Roubou meu Namorado, Cora Harrison.

Baseado nos diários da escritora Jane Austen na adolescência, este divertido romance juvenil é uma história de aventura, mistério, fofocas e, claro, flertes e paixões.
Uma das autoras mais queridas em todo o mundo, cujo bicentenário de morte ocorre este ano, Jane Austen (1775-1817) segue arrebanhando uma legião de fãs em pleno século XXI com romances nos quais retrata a sociedade inglesa de sua época com precisão e ironia.
Em Jane Austen roubou meu namorado, a escritora irlandesa Cora Harrison recria, para os jovens de hoje, a atmosfera dos livros da própria Jane Austen mesclando ficção e dados reais, a partir dos diários da autora de Orgulho e preconceito.

O livro retrata as peripécias amorosas da futura escritora, que já se considerava uma especialista em assuntos do coração, e de sua prima Jenny.

Páginas: 288

 

LER EDITORIAL

Um livro leve com quatro contos sobre o amor, todos ambientados em Londres. O livro Love Is In the Air, Catarina Muniz; Eva Zooks; Paola Scott; Tamires Barcellos, é uma mistura de amor com erotismo, e ótimo para quem gosta de historias curtas e envolventes.
PS. QUE CAPA LINDA!

 

Ah, o Amor! As dificuldades, os calafrios, os encontros inesperados, os pensamentos loucos…
Nos quatro contos de Love is in the air você vai conhecer lindas histórias, românticas e quentes, sobre esse sentimento cheio de altos e baixos.
Eva Zooks, Tamires Barcellos, Catarina Muniz e Paola Scott apresentam contos ambientados em Londres — a terra da Rainha, do chá e de cenários incríveis — para você se apaixonar como nunca antes.

Páginas: 264

 

 

INTRINSECA

Continuando na vibe amorzinho, a autora Ashley Poston, se aventura em escrever a historia da Cinderela nos dias atuais no livro Geekrela. Eu adoro esse tipo de livro, e se você gosta deve dar uma chance para esse e para alguns livros da Paula Pimenta. Tão amorzinho <3

Quando Elle Wittimer, nerd de carteirinha, descobre que sua série favorita vai ganhar uma refilmagem hollywoodiana, ela fica dividida. Antes de seu pai morrer, ele transmitiu à filha sua paixão pelo clássico de ficção científica, e agora ela não quer que suas lembranças sejam arruinadas por astros pop e fãs que nunca tinham ouvido falar da série.
Mas a produção do filme anunciou um concurso de cosplay numa famosa convenção valendo um convite para um baile com o ator principal, e Elle não consegue resistir. Na Abóbora Mágica, o food truck vegano onde trabalha, ela encontra a ajuda de uma amiga cheia de talentos para moda que vai criar o traje perfeito para a ocasião. Afinal, o concurso é a chance de Elle se livrar das tarefas domésticas impostas pela terrível madrasta e das irmãs postiças malvadas.

Já Darien Freeman, o astro adolescente escalado para ser o protagonista do filme, não está nada ansioso para o evento, embora o papel seja seu grande sonho. Visto como só mais um rostinho bonito, o próprio Darien também está começando a achar que se tornou uma farsa. Até que, no baile, ele conhece uma menina que vai provar o contrário.

Esta releitura de Cinderela transporta para o universo nerd os principais elementos do clássico conto de fadas, fazendo uma verdadeira homenagem a todos aqueles que sabem o que é ser fã e se dedicar de coração àquilo que amam.

Páginas: 384

Fica difícil escolher alguns livros entre 69, mas fiz o possível para variar nos temas e trazer livros bons. Se você já leu ou tem interesse em algum, deixe nos comentários.

Até a próxima, beijos ;*



9
jun 2017

 

Título Original: Wonder Woman

Título no Brasil: Mulher Maravilha

Diretora: Patty Jenkins

Gênero: Fantasia

Ano de Lançamento: 2017

 

 

Treinada desde cedo para ser uma guerreira imbatível, Diana Prince nunca saiu da paradisíaca ilha em que é reconhecida como princesa das Amazonas. Quando o piloto Steve Trevor se acidenta e cai numa praia do local, ela descobre que uma guerra sem precedentes está se espalhando pelo mundo e decide deixar seu lar certa de que pode parar o conflito. Lutando para acabar com todas as lutas, Diana percebe o alcance de seus poderes e sua verdadeira missão na Terra.

 

Finalmente, Mulher Maravilha chegou aos cinemas. E, logo na primeira semana, quebrou o recorde de “melhor estreia de uma diretora mulher”.

O filme é fiel a historia, logo no começo dão uma introdução a quem é a mulher maravilha.
O roteiro não tem partes “furadas”, que fazem a pessoa se perder ou não entender o que esta acontecendo.

Se esta acontecendo alguma coisa estranha, e que você não entendeu, calma, em seguida a diretora te explica o porque daquilo de uma forma bem clara.

Mesmo sendo um filme de 2h 21m não fica cansativo, ele te integra na historia e faz você se envolver, sem perceber o tempo passar.

Fui assistir com medo, pois os últimos filmes da DC que assisti não me agradaram, por ter o roteiro furado, não seguir a verdadeira logica, e por ter a Mulher Maravilha como minha heroína preferida.
Ainda bem que a diretora soube trabalhar  com a historia, dando a devida introdução, explicando alguns aspectos da personagem e se focando na força dela, e não na questão da “mulher”.

Gal Gadot se saiu muito bem, interpretou maravilhosamente. E gente, que mulher linda, não?
O elenco foi de peso, o que contribuiu, ainda mais, para esse filme ser tão bom.

Esse é um verdadeiro filme 9,5/10.

 

E vocês, já assistiram ou pretender ir assistir? Vale e a pena!

Dei uma breve introdução sobre o tema aqui.



6
jun 2017

ARQUIVADO EM: Cinema & TV

Título Original: One Tree Hill

Título no Brasil: Lances da Vida

Criador: Mark Schwahn

Gênero: Drama

Ano de Lançamento: 2003

 

   Sinopse: Nathan e Lucas são dois irmãos que só tem em comum o pai, Dan Scott, e o dom para jogar basquete. Nathan foi criado como o “queridinho” do papai e sempre teve de tudo, ele é ídolo do time de basquete e o garoto mais popular da escola, enquanto o solitário Lucas foi criado por sua mãe, Karen e pelo tio paterno Keith, com muita  dificuldade  e,  apesar  de  ser  um excelente jogador de basquete, só joga por diversão. O destino faz com que as vidas dos dois se cruzem e Lucas tem a chance de jogar novamente no time do colégio, o que provoca a raiva de Nathan e do seu pai que não quer que nada ou ninguém venham atrapalhar a trajetória profissional que ele sonhou para si no passado e agora traçou para seu filho. A disputa entre os garotos não vai ser apenas pelo controle de quadra de basquete, mas também pelo amor de Peyton, uma líder de torcida e atual namorada de Nathan.

Comecei a assistir a série em 2016, quatro anos depois de seu término. E quanto tempo eu perdi, minha gente! Em que dimensão eu estava, que não conheci One Tree Hill antes? Em princípio, eu achava tratar-se de uma série adolescente com típicos problemas adolescentes no colégio, mas que engano meu, pois de típicos, os problemas deles não tem nada!

Repleta de citações narradas por Lucas Scott e uma ótima trilha sonora, One Tree Hill é uma série jovem, sim, mas com problemas bem adultos. Claro, sempre existe um drama ou outro que realmente seja adolescente, mas no geral, é uma série com temas bem sérios, por isso não me admira o sucesso que a fez ficar no ar durante 9 temporadas.

“Você já olhou para uma foto sua e viu um estranho no fundo? Te fez perguntar quantos estranhos tem uma foto sua? Quantos momentos da vida dos outros nós fizemos parte? Ou se fomos parte da vida de alguém, quando os sonhos dessa pessoa se tornaram realidade. Ou se estivermos lá, quando os sonhos delas morreram.

Nós continuamos a tentar nos aproximar? Como se fôssemos destinados a estar lá. Ou fomos pegos de surpresa?

Pense, podemos seu uma grande parte da vida de alguém e nem saber.”

 

One Tree Hill é uma série que nos faz repletir sobre a vida e talvez por esse motivo, o título escolhido aqui no Brasil tenha sido Lances da Vida. Temas como amor, família, solidão e amizade também são exaustivamente abordados, o que fez a trama ser ainda mais especial.

Ao mostrar os erros e acertos de cada um, One Tree Hill humaniza os personagens e nos aproxima ainda mais de suas vidas, como se o telespectador realmente os conhecesse, ou conhecesse alguém que já viveu aqueles dilemas. As transformações, mudanças de temperamento e seus conflitos internos dão o tom da trama, tornando aqueles adolescentes pessoas comuns, que precisam de ajuda para crescer, assim como todos nós.

São tantas lições aprendidas e passadas que fica difícil dizer qual o melhor momento da série.

Gostei de vários personagens, mas o meu preferido é sem dúvida alguma o Nathan Scott, por tudo o que ele representa, por toda a sua trajetória e principalmente por todo o seu amadurecimento. Claro, todos os personagens sofreram mudanças bastante significativas durante toda a série, mas o Nathan, foi o que mais me surpreendeu.

Com um desfecho emocionante e nostálgico, One Tree Hill consegue derreter até o mais gelado dos corações. Finalizo esta resenha completamente apaixonada por essa história e seus personagens, Lucas, Payton, Nathan, Hayley e Brooke ficarão para sempre guardados em minha memória. Suas vidas e suas histórias me tocaram profundamente, me encheram de esperança e amor, e o mais importante, me fizeram acreditar que tudo é possível. Amei, amei, amei…recomendo demais!

“Faça um pedido e guarde no seu coração.

Qualquer coisa que você quiser. Tudo o que quiser. Fez? Ótimo!

Agora acredite que pode se tornar realidade.”

 



26
maio 2017

O filme da incrível Mulher Maravilha mais amada da DC chega aos cinemas em 1º de Junho. Mas em alguns cinemas do Brasil já é possível comprar o ingresso antecipadamente.

Durante a semana alguns teasers do filme foram liberados, e com isso a critica, nacional e internacional, começaram a divulgar suas opiniões. O medo  dos críticos eram que a Warner não soubesse trabalhar com esse filme. Assim como aconteceu nos últimos filmes em parceria da DC, mas depois de algumas cabines de imprensa, as criticas tem vindo positivamente.

 

Confira alguns teasers:

 

O filme foi dirigido por Patty Jenkins, e estrelado por Gal Gadot como Mulher Maravilha; Chris Pine como Steve Trevor; Robin Wright como Antipe; Connie Nielsen como Hipólita e David Thewlis como Ares.
Um elenco de peso e cheio de qualidade.

O que acharam dos teaser? Estão ansiosos?

Nós estamos!
Em breve uma resenha detalhada do filme, fiquem de olho para não perder! :*



23
maio 2017

ARQUIVADO EM: Cinema & TV

como arrasar um coraçãoTítulo Original: L’arnacoeur

Título no Brasil: Como Arrasar um Coração

Criadores: Laurent Zeitoun e Jeremy Doner

Gênero: Comédia/Romance

Ano de Lançamento: 2010

Sinopse: O sedutor Alex (Romain Duris), sua irmã Mélanie (Julie Ferrier) e o marido Marc (François Damiens) são donos de um negócio muito irreverente para clientes terceirizados. Eles são contratados para destruir relacionamentos em que as mulheres estão infelizes. Na trama, contratados por um homem rico para romper o casamento da própria filha e eles têm um tempo limite de apenas dez dias para realizar a missão.

A comédia romântica Como Arrasar Um Coração narra a história de um trio pago para destruir relacionamentos, formado por Alex, a irmã dele (Mélanie) e o marido dela (Marc). O principal responsável por acabar com os relacionamentos é Alex, com seu charme encantador, ele sabe o que as mulheres procuram e necessitam.

O trio é contratado pelo florista e mau-caráter Van der Beck (Jacques Frantz) para eliminar qualquer possibilidade de sua bela filha Juliette (Vanessa Paradis) subir no altar com Jonathan (Andrew Lincoln), um jovem inglês com muito dinheiro que é detestado pelo pai da noiva. O principal problema, além de acabar com o noivado, é que o trio tem pouco mais de uma semana para que a vontade do contratante seja realizada.

No meio da trama Alex passa a ser o “guarda-costas” da noiva para ficar mais perto dela. Com mais contato e convívio, Alex começa a perceber as coisas que Juliette mais admira, e assim eles começam a se gostar.

O longa é filmado em Mônacoum dos lugares mais bonitos do mundo, e mostra a belas paisagens e todo o luxo do local. Em uma das cenas mais legais, Alex e Juliette vão de carro pela estrada do principado ao som do hit Wake Me Up Before You Go-Go, de George Michael.

Port_de_Monaco

Um dos escritores da comédia romântica, Laurent Zeitoun, conta que a ideia de escrever a trama surgiu em um caso ocorrido dentro da própria família. “Minha prima estava apaixonada por um menino desprezível que a fez infeliz e que tinha tatuado o nome de sua ex em seu braço. E ainda afirmou que ele ainda a amava. Aí meu tio me disse: ‘Temos de apresentar um bom cara que vai abrir os olhos dela’. Com uma risada, eu disse: ‘pague um comediante, faça-o improvisar e explique-lhe como amar sua filha (…) a ideia de negócios para quebrar casais veio de lá!’”, contou o escritor francês.

Segundo o diretor do longa, Pascal Chaumeil, Como Arrasar Um Coração não é um filme totalmente politicamente correto. “Há quase um pequeno comentário social subjacente. Alex tem uma condição social menos favorecida que Juliette, a garota que ele tem de seduzir. Implicitamente, é questão de conflitos de classes. […] os métodos utilizados por Alex, por vezes são questionáveis, mas seu trabalho é ajudar as mulheres em suas escolhas de vida.”

Pessoal, espero que vocês curtam essa comédia romântica francesa tão bem produzida e leve de assistir. As atuações são convincentes, o enredo nos envolve e a fotografia do filme é incrível na maravilhosa Mônaco. 🙂



22
maio 2017

ARQUIVADO EM: Cinema & TV

 Título Original: The Other Side of Heaven

Título no Brasil: O Outro Lado do Céu

Direção: Mitch Davis

Gênero: Drama/Aventura/Biografia

Ano de Lançamento: 2001

 

Sinopse: John Groberg (Christopher Gorham) é um jovem missionário que, nos anos 50, embarca em um longa viagem juntamente com os nativos da ilha de Tonga, deixando para trás a noiva e sua família. Ao longo de sua viagem ele escreve cartas para sua noiva, relatando suas aventuras para sobreviver em uma terra desconhecida. Ao mesmo tempo, Groberg conhece a cultura local e faz amigos nos 3 anos que passa longe de casa.

O Outro lado do Céu é um filme delicado, sensível e muito verdadeiro. Baseado em fatos reais, esse é provavelmente, o melhor filme cristão que já assisti em toda a minha vida.

A história de John, que é convocado para prestar serviços como missionário na ilha de Tonga, é muito interessante. Ao longo de sua jornada, ele conhece pessoas muito especiais. Que o ensinarão valores imprescindíveis para a vida, passará também por muitas provações, tentações e momentos de dificuldade que o farão questionar seus atos e escolhas.

Os habitantes de Tonga se apresentam como realmente são, pessoas simples e de bom coração que aceitam aquele forasteiro de braços abertos, ajudando-o em sua adaptação.

Durante sua estadia na ilha, John escreve cartas para sua noiva Jean Sabin, relatando tudo o que esta acontecendo por lá e esses momentos são particularmente muito bonitos. As palavras de Jean são como um bálsamo, onde o missionário encontra forças para continuar sua missão.

Mesmo com todas as dificuldades apresentadas, é admirável a determinação e força de vontade daquele jovem, tentando ajudar o próximo de todas as maneiras possíveis, com seu imenso amor e fé inabalável.

Gostei bastante da atuação de Christopher Gorham, ele desempenhou brilhantemente seu papel. Assim como a jovem Anne Hathaway que em seu primeiro trabalho, executa lindamente o personagem da benevolente noiva.

Histórias baseadas em fatos reais geralmente tocam meu coração, sempre me emocionei com o que o destino reserva para as pessoas.

Com um enredo sensível e história tocante, esse filme sobre fé e simplicidade, arrebatará corações de diferentes maneiras e fará os céticos finalmente acreditarem em amor verdadeiro.

“Querida Jean,

Finalmente chegou o dia, estou indo para casa. Mas, o engraçado, é que parece que estou indo embora de casa. Nesses três anos, eu vivi com um povo que não tem nada, mas tem tudo. Nessa vida navegamos os mares, na próxima, navegaremos o céu. Eu gostaria de ser mais parecido com ele, um barqueiro entre as estrelas, e eu gostaria de ter você comigo. Sua suavidade ao meu lado, ah…Jean. Você irá me amar do outro lado do céu?”



16
maio 2017

ARQUIVADO EM: Literatura

Autor: John Boyne

Título Original: This House is Haunted

Editora: Companhia das Letras

Número de Páginas: 296

Avaliação: 5/5

Onde Comprar:  Amazon | Americanas | Submarino

 

Sinopse: Até a morte do pai, a jovem Eliza levava uma vida privilegiada – se não em termos materiais, ao menos em carinho e proteção.

Determinada a deixar as lembranças tristes para trás e reconstruir sua história em outro lugar, ela vê a oportunidade perfeita em um anúncio de governanta, que busca alguém para cuidar das crianças de um casarão no leste da Inglaterra.

Mas ela nunca poderia suspeitar o que a aguardava nesse novo trabalho. Há uma presença maligna à espreita na casa, e Eliza se vê em uma guerra de nervos contra esse adversário desconhecido, invisível (e talvez imaginário), que a acompanha em todos os momentos com a aparente intenção de matá-la.

Conheço a escrita de John Boyne desde O Menino do Pijama Listrado, e estava acostumada com seu estilo, sempre abordando guerras e tragédias em seus livros de maneira menos chocante que o necessário.

No entanto, fui tomada por um sentimento de absoluta surpresa quando me deparei com a história de Eliza. Uma moça que se vê sozinha após o falecimento de seu pai e encontra no emprego como governanta, a oportunidade perfeita para refazer sua vida.

“Eu nunca tinha irmãos para tomar conta e ninguém que tomar conta de mim; nenhum primo cuja vida poderia me interessar e ninguém que se interessaria pela minha. Estava totalmente sozinha” (Página 38)

Em A Casa Assombrada, somos apresentados a um estilo novo do autor, algo nunca antes visto. As graciosas referências feitas à Charles Dickens, dão um toque todo especial a trama.

“Nunca ouviu falar de Um Conto de Natal?, perguntei, estupefata, pois o romance tinha sido um grande sucesso.

De Charles Dickens.

Não, senhorita. Não estou familiarizado com esse cavalheiro.” (Página 89)

 

O modo como ele conduziu essa história, as surpresas, reviravoltas e descrições de extrema precisão, fazem com que o leitor se sinta inserido naquela casa, participando ativamente de tudo o que acontece lá. É assustador!

“Gritei, erguendo as mãos para o céu, desesperada. Porque tinha sido incumbida de fazer aquilo? O que tinha para merecer aquele destino?” (Página 274)

John Boyne nos tira o fôlego nesse novo gênero e é incontestavelmente perfeito. Nesse livro sem igual, o autor nos remete a Inglaterra e seus casarões exuberantes, nos fazendo mergulhar de cabeça em uma história assombrosa e surpreendente.

Nessa homenagem às clássicas histórias de fantasmas do século XIX, o autor nos conduz para algo extraordinariamente original e envolvente, sendo impossível largar até a reviravolta final. Indico John Boyne de olhos fechados, ele é sensacional!



11
maio 2017

ARQUIVADO EM: Vídeos

Vocês já sabem do meu amor pelo Kindle né? O meu é o modelo Paperwhite (que tem iluminação própria) e foi a melhor compra que já fiz! Tenho ele há quatro anos e nunca me deu nenhum tipo de problema. O Kindle Paperwhite tem Wi-Fi, iluminação embutida e tela de 6” sensível ao toque de alta definição. Você também pode adquirir o Kindle normal, sem iluminação, mas eu acredito que o custo beneficio do Paperwhite acaba compensando. 

Fiz um vídeo falando um pouco mais sobre o meu Kindle, e o motivo de eu gostar tanto dele. Dá uma olhadinha, e já aproveita para adquirir o seu, a Amazon está dando R$80,00 de desconto, até o dia 14/05, em comemoração ao Dia das Mães. CONFERE AQUI: http://amzn.to/2pzw27M 

No vídeo, eu aproveitei para falar sobre o Kindle Unlimited, que é um programa que permite que você leia o quanto desejar, escolhendo entre milhares de títulos. Você pode ler em qualquer dispositivo (não precisa ter Kindle, basta baixar gratuitamente o app) por apenas R$ 19,90 por mês, com cancelamento disponível a qualquer momento. Dá para fazer o teste gratuitamente, durante 30 dias. 🙂

Agora, vou deixar algumas sugestões de livros bacanas que você encontra no Kindle Unlimited. Tem MUITOS outros livros no catalogo, vale muito a pena conferir e ver o que mais te agrada, essas são só algumas sugestões.

Você já tem um Kindle? Conta para mim a sua experiência!






ilustrações design e desenvolvimento