INÍCIO QUEM SOMOS RESENHAS CONTATO/POLÍTICAS LIVROS LIDOS EM 2014

Infinity Ring: Um Motim no Tempo - James Dashner

Infinity Ring #1
Autor: James Dashner
Editora: Seguinte
Número de páginas: 239
Avaliação: 
Skoob

Dak Smyth e Sera Froste são melhores amigos, apesar de serem completamente diferentes. Dak é fascinado por história, praticamente uma enciclopédia ambulante, e Sera é expert em física quântica. Em uma tarde de bobeira, os dois aproveitam que estão sozinhos e decidem vasculhar o laboratório secreto dos pais de Dak. Lá eles descobrem um projeto chamado Anel do Infinito - que caso seja realmente finalizado -, vai proporcionar a oportunidade de viajar no tempo. Sera acaba conseguindo finalizar o projeto. 

No primeiro teste de uso do Anel do Infinito, eles têm resultados incríveis, o problema é que os pais de Dak simplesmente somem no tempo e eles vão precisar de muita ajuda para encontrá-los. É ai que os Guardiões da História aparecem, uma sociedade secreta criada há muitos séculos, que luta para consertar as enormes fraturas no tempo, causadas pela SQ, a organização responsável por controlar o planeta, mas que há tempos vem alteração o passado para conseguir benefícios no presente. 

Agora, Dak e Sera precisam voltar ao ano 1942 e impedir que Cristovão Colombo seja jogado ao mar, antes de sua chegada na América. 
**********


Infinity Ring é um livro muito rápido, são 239 páginas que passam voando. Logo que vi a sinopse eu fiquei bastante curiosa, e saber que o 1º livro da série tinha sido escrito por James Dashner é também autor do aclamado Maze Runner, me deixou ainda mais ansiosa. Sem contar que sou apaixonada por histórias de viagem no tempo. 

Dak e Sera são personagens bem construídos e com características bem definidas, o meu problema com a trama foi que Dak me pareceu um tanto quanto indiferente ao sumiço dos seus pais. Eu entendo sua fascinação pela história, e viajar para o passado para alguém com essa fascinação deve realmente ser algo sensacional, mas eu esperava um pouco mais de tristeza no garoto, ou que pelo menos ele demonstrasse que estava disposto a enfrentar toda essa aventura para ajudar seus pais, e não apenas pelo seu amor à história. Acho que o autor não se aprofundou nessa questão, me senti distante dos personagens.

Falando em aventura, esse primeiro volume é repleto dela. Gostei muito da ambientação, consegui realmente me imaginar no ano 1492, à bordo do navio de Colombo. O ritmo dos acontecimentos é ágil, mas sempre mantendo o sentido de todas as ações. A carga histórica do livro é bem intensa, ainda que tudo seja narrado de maneira simples, muitos fatos, datas e acontecimentos marcantes da história do mundo são explorados, e tenho certeza que nos próximos volumes teremos muito mais. 
O final é muito bacana (mesmo que as coisas tenham sido resolvidas facilmente), fica difícil não desejar ler o próximo volume o quanto antes. O segundo volume - Dividir e Conquistar -, escrito por Carrie Ryan já foi lançado, bem como o terceiro volume, O Alçapão, escrito por Lisa MacMann.

Infinity Ring: Um Motim no Tempo é claramente um livro juvenil (pelo menos esse primeiro volume), mas nada impede que seja apreciado por todas as idades. Se você gosta de leituras leves e curte o gênero, é uma boa pedida. ;)


Filme: De Repente Pai

Título Original: Delivery Man
Lançamento: 2014

Direção: Ken Scott
Elenco: Vince Vaughn, Chris Pratt, Cobie Smulders  
Gênero: Comédia

Sinopse: Um homem de meia idade (Vince Vaughn) descobre ter sido pai de 533 crianças, através da doação de esperma. Ele passa a enfrentar problemas quando algumas dezenas destas crianças, já crescidas, passam a sentir a enorme necessidade de conhecer quem é seu pai biológico.

Desde de quando vi o trailer de De Repente Pai fiquei interessada pelo filme porque, querendo ou não, a premissa é muito inusitada e capaz de render um filme muito bem humorado. E preciso confessar que fui surpreendida, não só por ter gostado, mas principalmente por não ser uma comédia escrachada como aparenta, é, também, uma estória muito humana. 

David Wozniac (Vince Vaughn) é um entregador de carne para o negócio de sua família e não tem nada de especial na vida, luta para pagar suas dívidas e manter sua namorada mesmo com todas as suas burradas. Até um dia quando um advogado aparece em sua casa e diz que ele possuí 533 filhos, frutos de centenas de doações de esperma que fez quando era mais novo. E, para piorar, uma grande parte deles querem conhecer o pai. 

O filme começa como uma grande comédia clichê e quase escrachada, mas foi inusitado, para mim, o caminho seguido pelo filme. Em nenhum momento De Repente Pai perde o fundo de comédia, não é aquele tipo de filme que te faz rolar de rir, mas sim aquele que consegue arrancar vários sorrisos e risadas. Mas que, ao mesmo tempo, toma um rumo mais humano e sentimental. Não vou dizer que é uma estória profunda ou extremamente emocionante, mas sim que tem uma certa beleza, passando um mensagem muito bonita. Gosto também da maneira que seus personagens crescem juntamente com a estória. 

Vince Vaughn é um bom ator e tem um timming muito bom para a comédia, mas, apesar de cumprir muito bem seu papel, David Wozniac, o seu personagem, não tem nada de único, ou muito especial.  Você acaba gostando dele e simpatizando com a sua situação, mas nada mais além disso. 
Um grande destaque do filme, para mim, é o Chris Pratt, eu gostei muito da sua atuação e do seu papel, em toda cena que aparecia ele roubava as atenções e apesar de fazer uma personagem um tanto quanto caricato ele realmente me ganhou. 

Gostei muito da maneira com que fomos apresentados a alguns dos filhos do David, apesar de cada um ter pouco tempo em tela, o diretor conseguiu fazer com que o telespectador se interessasse por suas estórias e por qual rumo eles tomariam dali para frente. Foi uma sacada inteligente para fazer com que quem estivesse assistindo se relacionasse com o filme. 

Eu não esperava gostar tanto de De Repente Pai e muito menos o rumo decidido para a estória. É um filme gostoso de assistir e que balanceia a comédia com momentos mais leves e até - por que não? - tocantes. Recomendo muito para quem gosta do gênero.  


Caixa de Correio #103 - Parte 2 - Novo Conceito

Bora ver a segunda parte do vídeo? Dessa vez só com os livros da Novo Conceito. :)




Caixa de Correio #103 - Parte 1

Meme semanal inspirado no In My Maibox do The Story Siren e no Resumo do Poison do Mon Petit Poison

Eu demoro, mas eu sempre volto :)
Dividi o vídeo em duas partes, a segunda provavelmente sai amanhã. Espero muito que vocês gostem!

Chegou:
Enfeitiçadas - Jessica Spotwood |Ed. Arqueiro| (Skoob)
A árvore de Strangeville - Camilla Sá |Ed. Gregory| (Skoob)
11 contos e uma fábula - Bruna Karyne |Ed. Galera| (Skoob)
Tapete Vermelho - M. S. Fayes |Ed. Matrix| (Skoob)
Casa de Segredos - Chris Columbus e Ned Vizzini |Ed. Galera| (Skoob)

Facebook da Camilla Sá

Pesquisar

Redes Sociais

Receba as novidades

Coloque o seu e-mail aqui e fique por dentro das novidades do blog:

Facebook

Assista ao último vídeo

Seguidores

Publicidade

Arquivo

Eu leio: