mm1 mm2 mm3mm4 mm5 mm6 mm7


27
fev 2015

ARQUIVADO EM: Blog & Pessoal

banner_video_youtube580x250Oi gente!!

Não sei se todos vocês acompanham, mas eu tenho um canal no Youtube. O último vídeo foi postado no dia 31 de dezembro, depois disso eu sumi e não voltei mais hahaha.

Algumas coisas aconteceram (inclusive um surto de espinhas no meu rosto, que me deixou um tanto quanto assustadora) e eu achei melhor dar um tempo nas gravações. Mas, para minha felicidade, as coisas estão um pouco melhores (meu rosto também, obrigada), e já passou da hora de eu voltar a gravar e atualizar o canal. Afinal de contas, eu realmente gosto muito de gravar, me sinto feliz quando termino um vídeo.

O post de hoje é para pedir dicas, sugestões de vídeos que vocês queiram ver por lá. E sim, podem ser sobre outros temas, não apenas literário, assim consigo intercalar com os vídeos literários.

Alguns de vocês pediram daily vlogs, e estou pensando com carinho na possibilidade, apesar de não acontecer nada assim tão emocionante na minha vida. Prometo que vou tentar. Pode ser também aquela tag que você criou, ou que viu seu youtuber favorito gravando, e acha que eu poderia gravar também. Enfim, sugiram o que acharem mais legal.

Quero que em março o canal entre no eixos e volte a ter uma rotina de vídeos semanais, então conto com vocês. :)

Para ficar por dentro dos novos vídeos que virão, se inscreva AQUI. Te espero lá!


Postado por




25
fev 2015

ARQUIVADO EM: Literatura

LizzieBennetAutores: Bernie Su e Kate Rorick

Editora: Verus

Número de Páginas: 

Avaliação: 5/5

Uma adaptação moderna de Orgulho e Preconceito, baseada na série The Lizzie Bennet Diaries. Lizzie Bennet é uma jovem estudante de comunicação que resolve fazer um Vlog como projeto para a faculdade, postando vídeos em que reflete sobre sua vida e a de suas irmãs. Quando dois amigos ricos e charmosos chegam à cidade, as coisas começam a ficar mais interessantes para as irmãs Bennet – e para os seguidores de Lizzie na internet. De repente, Lizzie – que sempre se considerou uma garota bastante normal – se torna uma figura pública. Mas nem tudo acontece diante das câmeras. E, felizmente para nós, ela escreve um diário secreto…

Estou completamente apaixonada por esse livro! O diário secreto de Lizzie Bennet nasceu a partir do vlog, The Lizzie Bennet Diaries criado em 2012. Eu amei os vídeos, vi todos na mesma semana (são 100 episódios bem curtinhos) e fiquei bem triste quando terminou. Sendo assim, quando vi que o livro seria lançado minha alegria foi imensa, eu sabia que seria uma leitura prazerosa.

O livro (e o vlog) é uma releitura moderna do clássico Orgulho e Preconceito, de Jane Austen, um dos meus livros favoritos da vida. E o melhor de tudo é que os autores conseguiram trazer todos os detalhes importantes do clássico de uma maneira moderna e convincente, que provavelmente agradará até os fãs mais exigentes.

Lizzie é uma jovem cheia de opinião, que está no último ano do curso de comunicação, ela precisa entregar um projeto inovador para sua orientadora, e com ajuda de sua melhor amiga – Charlotte Lu – ela decide gravar vlogs para o Youtube. O problema é que Lizzie acaba se empolgando um pouco e revelando mais detalhes para o seu público do que o planejado, e assim vamos conhecendo a vida de Lizzie, e de suas irmãs, Jane e Lydia. E, juntamente com o vlog, Lizzie escreve um diário secreto.

Quando um rico solteirão se muda para mansão perto da casa de Lizzie, as coisas se tornam ainda mais interessantes.

Os pontos altos do livro original são lindamente abordados em O diário secreto de Lizzie Bennet, temos uma Lizzie orgulhosa, um Darcy preconceituoso, uma Jane amorosa e dedicada, uma Lydia bem doidinha e uma Sra. Bennet que não vê a hora de ver suas filhas bem casadas, com homens ricos. E tudo isso, sem arruinar o clássico! Achei fantástica a forma como os autores mantiveram a essência total da trama.

A narrativa em forma de diário de Lizzie é fluída, divertida e irônica. A personagem tem uma personalidade forte e é muito carismática. Assim como em Orgulho e Preconceito, me identifiquei com a personagem imediatamente. Darcy consegue ser detestável durante um bom tempo, e apaixonante logo em seguida (A escolha dos atores do vlog – que eu já havia assistido – ajudou um pouco, mas a descrição do livro é suficiente).

Existe uma preocupação em explicar alguns detalhes sobre a profissão de Lizzie, e é tudo tão interessante e atual! Ainda que eu não seja uma vlogueira famosa, nem nada do tipo, consigo entender um pouco e sei o que Lizzie sentia quando lia os comentários dos seus vídeos.

As irmãs da protagonista são maravilhosas. Jane e Lydia brilham. Foi maravilhoso acompanhar os conflitos, os erros e o amadurecimento das três irmãs. Destaque para Lydia, que é uma personagem sensacional e complexa. É incrivel como a personagem vai ganhando terreno no decorrer da trama e se tornando essencial. O Sr. e a Sra. Bennet também foram bem explorados, Bernie Su e Kate Rorick conseguiram deixar a obsessão da matriarca em casar suas filhas condizente com a atualidade, apesar de um pouco insana, ela me pareceu bem real.

A crítica social é presente, bem como no original. E a mensagem de amor familiar, perdão e crescimento é bem evidente. Eu sofri junto com as personagens e entendi o lado de cada uma. Se você já leu Orgulho e Preconceito já sabe como o livro acaba, mas nem por isso a leitura não será envolvente e emocionante.

Não é obrigatório assistir à série The Lizzie Bennet Diaries, mas garanto que se você fizer isso (talvez ao final de cada capitulo) a experiência vai ser intensa e completa. E se você já assistiu, vale muito a pena ler o livro, existem diversos detalhes e surpresas que não encontramos nos vlogs. Coisas que acontecem por trás das câmeras, que só mesmo um diário poderia revelar.

Recomendo sem sombra de dúvidas! Leitura obrigatória para os fãs de Jane Austen, e também para aqueles que não são, mas apreciam o gênero.

Para quem ainda não conhece, segue o primeiro episódio:


Postado por




23
fev 2015

ARQUIVADO EM: Literatura

AMORTEDESARAINa Companhia de Assassinos #1
Autor:  J.A. Redmerski
Editora: Suma de Letras
Número de páginas: 255
Avaliação:  5/5

Sinopse: A Morte de Sarai – A autora do best-seller de “Entre o agora e o nunca” e “Entre o agora e o sempre” traz uma história de paixão e sobrevivência.
Sarai era uma típica adolescente americana: tinha o sonho de terminar o ensino médio e conseguir uma bolsa em alguma universidade. Mas com apenas 14 anos foi levada pela mãe para viver no México, ao lado de Javier, um poderoso traficante de drogas e mulheres. Ele se apaixonou pela garota e, desde a morte da mãe dela, a mantém em cativeiro. Apesar de não sofrer maus-tratos, Sarai convive com meninas que não têm a mesma sorte.
Depois de nove anos trancada ali, no meio do deserto, ela praticamente esqueceu como é ter uma vida normal, mas nunca desistiu da ideia de escapar. Victor é um assassino de aluguel que, como Sarai, conviveu com morte e violência desde novo: foi treinado para matar a sangue frio. Quando ele chega à fortaleza para negociar um serviço, a jovem o vê como sua única oportunidade de fugir. Mas Victor é diferente dos outros homens que Sarai conheceu; parece inútil tentar ameaçá-lo ou seduzi-lo.
Em “A morte de Sarai”, primeiro volume da série Na Companhia de Assassinos, quando as circunstâncias tomam um rumo inesperado, os dois são obrigados a questionar tudo em que pensavam acreditar. Dedicado a ajudar a garota a recuperar sua liberdade, Victor se descobre disposto a arriscar tudo para salvá-la. E Sarai não entende por que sua vontade de ser livre de repente dá lugar ao desejo de se prender àquele homem misterioso para sempre.

Sarai tinha 14 anos quando a mãe que era viciada em drogas a levou para o México e a entregou para Javier, um poderoso traficante de drogas e mulheres. E durante 9 anos, Sarai foi sua escrava sexual. Presenciando os horrores pelos quais, outras mulheres/meninas, também prisioneiras como ela, passavam. Até que um dia, vê em um americano (matador), a oportunidade de fugir, em busca de sua liberdade.

Mas o que Sarai achava ser fácil, se tornou ainda mais perigoso. Victor, o matador de aluguel não tem coração. Mesmo quando ela o ameaça, usando uma arma, ele não cede. E ela percebe que ele vai usá-la como moeda de troca, para conseguir o que realmente pretende de Javier.

A história acaba tendo surpresas inesperadas e tomando rumos totalmente diferentes. É quando Victor começa a “ajudar” Sarai. Mas ao mesmo tempo, quer manter distância dela. Ele é um matador de aluguel, segue ordens da Ordem e não pode e nem deve se envolver com mulheres, principalmente com Sarai.

“Se escolher ir comigo, saiba que pode morrer. Vou fazer todo o possível para manter você a salvo, mas isso não é garantia. Por mais que você confie em mim, nunca, sob qualquer circunstância, deve confiar totalmente em alguém. No final, você só pode confiar em si mesma. Eu não sou seu herói. Não sou sua alma gêmea que jamais deixará que nada de ruim lhe aconteça. Sempre confie em seus instintos primeiro e em mim, se decidir confiar, por último.”

A história toda é narrada em primeira pessoa, intercalando a narração entre Victor e Sarai. E achei fantástico, por poder ter a chance de poder saber o que se passava na cabeça de Victor. E aqui, já digo que mesmo ele sendo matador, um verdadeiro bad boy me apaixonei por ele. Lá no finalzinho do livro, mas me apaixonei….não vou poder contar aqui o motivo, mas se tiverem a oportunidade de ler o livro, vão entender porque.

Confesso que não estava super empolgada pra ler esse livro. Já tinha lido os anteriores da autora: Entre o Agora e o Nunca e Entre o Agora e o Sempre e mesmo tendo gostado dos dois livros, não estava realmente empolgada pra ler A morte de Sarai. Acho que esperava que fosse um livro “mais do mesmo”. Mas a autora me surpreendeu.

O livro é daqueles que a gente fica prendendo o ar o tempo todo, de tanta tensão, ansiosa pra saber o que acontece a seguir. Tem suspense e tem romance. Mas não é um romance água com açúcar. Não é um romance desses que estamos acostumadas a suspirar por conta das cenas entre a mulher e o homem. É algo completamente diferente, porque não é apresentado no livro de forma explícita.

A autora me surpreendeu também quando não teve medo de colocar no livro cenas de violência e a história é cheia de mortes. Lembrem-se, Victor é um assassino (desde os 9 anos, preparado pela Ordem, especialmente pra isso). E ele mata sem nem ao menos piscar. Mas isso não choca o leitor. Pelo menos não chocou a mim. E é por isso, que passei a “enxergar” a autora de forma diferente. Ela mudou totalmente o estilo nesse livro.

A morte de Sarai é o primeiro de uma série de 4 livros e confesso que estou super ansiosa pra ler o segundo, que infelizmente ainda não foi lançado no Brasil. O final do livro fica meio que em aberto, mas podem ler sem medo, que vocês não vão se decepcionar. ;)


Postado por




20
fev 2015

ARQUIVADO EM: Literatura

FelizesparasempreQuarteto de Noivas #1
Autor:  Nora Roberts
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 293
Avaliação:  5/5

Em Felizes para sempre, último livro da série Quarteto de Noivas, você vai descobrir que o amor não avisa que está a caminho e, quando chega, vira seu mundo de cabeça para baixo. Parker Brown sabe que subir ao altar é um dos momentos mais extraordinários na vida de um casal. Por isso ela administra a Votos a bem-sucedida empresa de organização de casamentos que fundou com suas três melhores amigas com pulso firme e muita dedicação. Seu dia de trabalho começa cedo às vezes de madrugada, quando alguma noiva ansiosa lhe telefona aos prantos. Mas ela não se importa. Cada vez que ajuda uma mulher a escolher o vestido perfeito para o grande dia ou vê o sorriso nervoso e feliz de um noivo no altar, ela sente que está dando sua contribuição para uma história igual à de seus pais. Porém a rica, linda e inteligente Parker também quer ser feliz no amor. Só que, em vez do intelectual sensível que sempre esteve em seus planos, parece que o destino lhe reservou uma surpresa. Malcolm Kavanaugh é um mecânico de automóveis e ex-dublê de filmes de ação. Amigo do irmão de Parker, ele não tem vergonha de elogiar as belas pernas da moça e, com suas mãos ásperas, faz com que a empresária certinha e controladora simplesmente perca o chão. Agora eles vão descobrir que, mesmo com suas diferenças, podem completar um ao outro. E quem disse que o príncipe encantado não pode chegar numa Harley-Davidson?

Apenas apaixonada por esse livro, e pela série todinha! Por ser o quarto e último livro série, é possível que essa resenha contenha alguns spoilers dos livros anteriores.

Parker Brown é a minha personagem preferida, ela é forte, decidida, corajosa e determinada. Comanda a parte burocrática da Votos com maestria, e está com seu blackberry em mãos praticamente o tempo todo, atendendo aos caprichos insanos de noivas ansiosas. Tudo isso de salto altíssimos.

Mac, Emma e Laurel são suas melhores amigas, e companheiras de trabalho, Parker não sabe viver sem elas. Cada uma encontrou seu grande amor (nos seus respectivos livros), e agora a vez de Parker está chegando, não que ela esteja pensando nisso agora. Parker sonha com esse momento, mas acredita que ainda vai demorar um bom tempo, e para ela homem ideal é gentil, atencioso e elegante. Diferente de Malcon Kavanaugh.

Malcon é ex-dublê de filmes de ação, tem sua própria oficina mecânica, e seu veiculo é uma imponente Harley-Davidson. Ele é amigo de Del (o irmão de Parker) e desde o segundo livro – Mar de Rosas – faz parte da turma e sempre mostrou seu interesse por Parker e sua admiração por suas longas e torneadas pernas, inclusive o apelido de Parker, dado por Malcon, é Pernas. Por ser uma empresária bem-sucedida, Parker sempre consegue controlar todas as situações, fazendo com que tudo transcorra da maneira que acha melhor, menos quando Kavanaugh está por perto. 

“- É difícil resistir a um bad boy que é um bom homem. Eles nos passam uma bela rasteira.”

O romance é gradual e me convenceu totalmente, Malcon se tornou meu segundo mocinho favorito nessa série (só perde para o Carter, impossível superar o Carter), ele é durão, sexy e cheio de atitude, mas Nora Roberts explorou uma faceta mais sensível do personagem, ele é um homem fechado, que tem grandes dificuldades em compartilhar seu passado e medos. Tudo o que Parker não queria era alguém que tirasse seu foco do seu trabalho, que tirasse a perfeita ordem de sua vida, e exatamente isso que Malcon faz. 

O diferencial dessa série é que apesar de Parker e Malcon serem os protagonistas da vez, eles não são o centro de tudo, assim como nos livros anteriores a amizade e companheirismo das quatro garotas é o carro-chefe de tudo, são cenas e mais cenas repletas de amor e carinho entre elas. Parker faz questão de cuidar de cada detalhe dos casamentos das amigas, fazendo o possível para que seja único, do jeitinho que elas sonharam. Nora Roberts mostra um amor fraternal absolutamente lindo, acompanhamos o felizes para sempre de cada uma delas. 

“Quando você ama alguém e esse amor é correspondido, mesmo que tudo esteja dando errado, parece que tudo se encaixa.”

Quando cheguei ao final do livro, fiquei MUITO triste, eu não queria que terminasse, queria mais um pouco desse quarteto de amigas! Sem dúvidas se tornou uma das minhas séries favoritas, e se você gosta de romance, com certeza vai amar essa quadrilogia! Nora Roberts não tem a fama que tem por acaso, já estou ansiosa para ter novos livros dela em mãos.

Quarteto de noivas da Nora Roberts
  1. Álbum de casamento (Vision in White) – Mac
  2. Mar de Rosas (Bed of roses) – Emma
  3. Bem-casados (Savor the moment) – Laurel
  4. Felizes para sempre (Happy ever after) – Parker


Postado por




19
fev 2015

Eu adoro marcar os livros que já li, vou ler ou pretendo comprar. Acho prático fazer isso pela internet, e já aposentei os caderninhos faz tempo, pois sempre os perco. Nesse mês conheci uma nova rede social para os fãs de livros, e hoje quero mostrar um pouco mais desse site para vocês.

O site Orelha de Livro é de fácil acesso, nele você pode adicionar livros que deseja ler à sua estante, ou até mesmo cadastrar um livro de sua própria autoria, caso você seja um escritor. E, além disso, você pode conhecer outros leitores e fazer o download de livros que sejam de domínio público, tudo sem complicações.

4

Para se cadastrar é bem simples, eu fiz login com o Facebook mesmo, achei mais prático, mas você pode se cadastrar pelo seu e-mail também, sem problema. A interface é bem clean, o que torna a navegação agradável e rápida. Dá para colocar uma pequena descrição, e eu coloquei essa frase abaixo, que adoro. <3

Como vocês podem ver, dá para adicionar as abas: Quero ler, Estou lendo, Já li e Favoritos. E fica assim, bem bonitinho para visualizar. Gostei bastante.

Você pode também seguir os blogs que gosta, e os amigos também. Para conferir as  atualizações de quem você segue, é só verificar o feed. Você pode seguir autores também, e ficar por dentro de tudo.
3

O Orelha de Livro é uma rede social nova, então pode acontecer de você não encontrar determinado livro, logo de imediato. Nesse caso é só cadastrá-lo, eu cadastrei um que não havia encontrado, e foi MUITO rapidinho.

cadastrarlivro

Adicionar os livros na estante, também é bem simples. Inclusive, você pode classificar com estrelas de 1 a 5. Uma das coisas que achei mais interessante, é que clicando em download, logo ao lado, você será direcionado para baixar o e-book, e encontra os preços nas melhores lojas online. E ah, é o preço atualizadinho. Muito prático!

adiconarnabiblioteca

Gostei realmente e já aderi. Vai demorar um pouco até que eu consiga colocar todos os meus livros na minha biblioteca, mas está sendo bem divertido. Quem quiser me seguir por lá, é só procurar pelo meu nome – Juliana Sutti, ou clicar aqui.

Se você se interessou e quer fazer parte do Orelha de Livro, é só se cadastrar no site e começar a adicionar os livros! Depois me contem se gostaram.

Acesse: Facebook


Postado por




17
fev 2015

ARQUIVADO EM: Cinema & TV

50tonsTítulo Original: Fifty Shades of Grey

Lançamento: 2015

Direção: Sam Taylor-Johnson

Elenco: Jamie Dornan, Dakota Johnson

Gênero: Drama, Romance

Sinopse: Anastasia Steele (Dakota Johnson) é uma estudante de literatura de 21 anos, recatada e virgem. Uma dia ela deve entrevistar para o jornal da faculdade o poderoso magnata Christian Grey (Jamie Dornan). Nasce uma complexa relação entre ambos: com a descoberta amorosa e sexual, Anastasia conhece os prazeres do sadomasoquismo, tornando-se o objeto de submissão do sádico Grey.

Cinquenta Tons de Cinza era um dos filmes que eu mais queria ver esse ano. Não porque eu amei o livro, mas pela mesma razão que li o original: simples e pura curiosidade. Eu estava muito curiosa sobre como retratariam essa estória nas telas e também por todo o bafafá que eu já tinha certeza que iria gerar. Foi por isso que corri para o cinema na primeira oportunidade e, mesmo que o filme esteja longe de ser perfeito – muito longe -, eu não me arrependo do dinheiro gasto no ingresso.

Pelo que sei a autora teve o poder de fazer com que todos os diálogos do filme fossem iguais aos do livro e eu posso afirmar com certeza para vocês que foi esse o grande problema da adaptação. De verdade, os diálogos são péssimos! São na maioria das vezes forçados, nada naturais e até mesmo constrangedores – não por dizer algo íntimo, mas por serem só ruins mesmo. E essa falta de naturalidade é algo que me incomodou durante o filme todo. Não só as falas, que não passam nenhuma realidade, mas também as atuações me pareceram igualmente forçadas em certos momentos (todo a cena que eles se conhecem é super desconfortável e não vou nem falar como pareceu não natural ela mordendo o lápis. Apenas não!). O que eu senti é que os atores não estavam completamente confortáveis fazendo aquilo, que não existia muita química entre eles e entre os próprios personagens que estavam representando. Existiu momentos muito bons, como o da Anastasia na fila do banheiro, que pareceram muito mais verdadeiras, mas sempre que voltávamos para os diálogos ruins o problema da naturalidade voltava.

Falando dos personagens, a Anastasia feita pela Dakota Johnson é bem mais suportável daquela que conhecemos no livro. Ela ainda é ingênua e chata demais em muitos momentos, mas no filme ela é uma personagem com muito mais voz, além de trazer um humor muito bem-vindo que proporciona risadas de verdade. Já quanto o Jamie Dornan, preciso confessar que não gostei dele como o Christian Grey, acho que eu não consegui sentir aquela força que o personagem tinha que mostrar. Ele apresenta uma personalidade muito mais dramática e misteriosa do que forte. Uma pena.

Agora o que todo mundo quer saber de verdade é como eles trouxeram as cenas de sexo para o filme. E eu posso dizer que eles fizeram um trabalho muito, mas muito bem feito mesmo com essas cenas. Eles conseguiram balancear o que mostrar e o que não mostrar, conseguiram fazer com as cenas não ficassem pesadas e que em nenhum momento eu me sentisse constrangida de estar assistindo aquilo dentro de uma sala de cinema lotada.

Acho que o cuidado técnico é uma das melhores qualidades da adaptação. Os cenários são muito bonitos, assim como o esquema de cores das cenas e, principalmente, a trilha sonora. De verdade, as músicas são sensacionais! E o melhor é que todas elas são realmente utilizadas durante as cenas e possuem claramente um ligação com o que está acontecendo naquele momento. Vale muito a pena dar uma conferida nas músicas.

Eu não vou entrar aqui do debate sobre os temas tratados em Cinquenta Tons de Cinza, acho que já está todo mundo cansado de ouvir todos os tipos de opiniões possíveis. Vou apenas dizer que como adaptação o filme conseguiu passar todos os acontecimentos principais do livro e ser fiel a sua estória e que, como filme, ele não é dos melhores, mas é com certeza um bom entretenimento. E, sinceramente? Quero, sim, assistir ao próximo.





14
fev 2015

ARQUIVADO EM: Lançamentos Literatura

Oi gente! A Intrínseca esta repleta de lançamentos bacanas, vocês podem conferir todos AQUI. Vou mostrar para vocês os que eu mais me interessei e coloquei na lista de super desejados. Bora conferir!

Edição Percy Jacksonde luxo, em formato diferenciado, inteiramente colorida e ilustrada por John Rocco. Uma obra duradoura, que enriquece a biblioteca pessoal do leitor.

“Um editor de Nova York pediu que eu escrevesse o que sei sobre os deuses gregos, e fiquei pensando: ‘Pode ser anonimamente? Porque não estou a fim de despertar a ira dos olimpianos de novo.’ Mas, se assim eu estiver ajudando vocês a conhecer os deuses gregos e a sobreviver caso algum dia eles apareçam na sua frente, então acho que escrever isso tudo vai ser minha boa ação da semana.”

Percy Jackson  Para todos que acompanharam o adolescente Percy Jackson enquanto ele se descobria um semideus, enfrentava monstros e entrava em contato com todo tipo de divindades e seres mitológicos, chegou a hora de conhecer com detalhes as histórias dos doze principais deuses gregos, contadas por ninguém menos que o próprio Percy. Em Percy Jackson e os Deuses Gregos nosso querido semideus explica a versão da mitologia grega para a criação do mundo e dá aos leitores sua visão pessoal sobre quem é quem na Grécia Antiga, de Apollo a Zeus.  – Narrado pelo celebrado personagem Percy Jackson, em linguagem informal e repleta de referências atuais, o livro aproxima os leitores jovens da mitologia grega como nenhum outro.

AMO Percy Jackson, vocês já sabem. Então quero muito ter esse exemplar em mãos, o quanto antes! *-*

Até você ser minha

Até você ser minha – Samantha Hayes  A assistente social Claudia Morgan-Brown está prestes a realizar o sonho de sua vida: vai dar à luz uma menininha. Apesar da ausência do marido ao longo da gravidez, ela mal pode esperar para segurar seu bebê nos braços após várias tentativas e perdas. Porém, as diversas tarefas de Claudia, além da responsabilidade de cuidar dos gêmeos Oscar e Noah, filhos do primeiro casamento de James, deixam o casal preocupado. A próxima partida de James se aproxima, e eles decidem contratar uma babá. As suspeitas de Claudia se transformam em verdadeiro terror quando começa a ocorrer uma série de ataques brutais a mulheres grávidas na cidade. Imersos em problemas familiares, os investigadores Lorraine Fisher e Adam Scott são forçados a deixar suas questões de lado e correr contra o tempo para encontrar o assassino antes que ele cometa mais um crime. Uma narrativa repleta de reviravoltas, Até você ser minha traz os desejos humanos mais intensos e mostra quão longe alguém pode chegar para conseguir o que quer.

Já fiquei tensa com a sinopse de Até você ser minha, prevejo um livro forte e marcante. Esse vou querer ler, com certeza. Gosto bastante desse gênero.

Objetos cortantes – Gillian Flynn (autora de Garota Exemplar) Recém-saída de um hospital psiquiátrico, onde foi internada para tratar a tendência à automutilação que deixou seu corpo todo marcado, a repórter de um jornal sem prestígio em Chicago (EUA), Camille Preaker, tem um novo desafio pela frente. Frank Curry, o editor-chefe da publicação, pede que ela retorne à cidade onde nasceu para cobrir o caso de uma menina assassinada e outra misteriosamente desaparecida.  Desde que deixou a pequena Wind Gap, no Missouri (EUA), oito anos antes, Camille quase não falou com a mãe neurótica, o padrasto e a meia-irmã, praticamente uma desconhecida. Mas, sem recursos para se hospedar na cidade, é obrigada a ficar na casa da família e lidar com todas as reminiscências de seu passado.  Entrevistando velhos conhecidos e recém-chegados a fim de aprofundar as investigações e elaborar sua matéria, a jornalista relembra a infância e a adolescência conturbadas e aos poucos desvenda os segredos de sua família, quase tão macabros quanto as cicatrizes sob suas roupas.

Gillian Flynn me pegou de jeito com Garota Exemplar, passei tanta raiva na leitura, fiquei tensa e surpresa diversas vezes. O tipo de leitura que mexe com todas as emoções. Então já quero saber o que rola em Objetos Cortantes.

JojoMoyes

Um mais Um – Jojo Moyes - Há dez anos, Jess Thomas ficou grávida e largou a escola para se casar com Marty. Dois anos atrás, Marty saiu de casa e nunca mais voltou. Fazendo faxinas de manhã e trabalhando como garçonete em um pub à noite, Jess mal ganha o suficiente para sustentar a filha Tanzie e o enteado Nicky, que ela cria há oito anos. Jess está muito preocupada com o sensível Nicky, um adolescente gótico e mal-humorado que vive apanhando dos colegas. Já Tanzie, o pequeno gênio da matemática, tem outro problema: ela acabou de receber uma generosa bolsa de estudos em uma escola particular, mas Jess não tem condições de pagar a diferença. Sua única esperança é que a menina vença uma Olimpíada de Matemática que será disputada na Escócia. Mas como eles farão para chegar lá? Enquanto isso, um dos clientes de faxina de Jess, o gênio da computação Ed Nicholls, decide se refugiar em sua casa de praia por causa de uma denúncia de práticas ilegais envolvendo sua empresa. Entre ele e Jess ocorre o que pode ser chamado de ódio à primeira vista. Mas quando Ed fica bêbado no pub em que Jess trabalha, ela faz questão de deixá-lo em casa, em segurança. Em parte agradecido, mas principalmente para escapar da pressão dos advogados, da ex-mulher e da irmã – que insiste em que ele vá visitar o pai doente -, Ed oferece uma carona a Jess, os filhos e o enorme cão da família até a cidade onde acontecerá o torneio. Começa então uma viagem repleta de enjoos, comida ruim e engarrafamentos. A situação perfeita para o início de uma história de amor entre uma mãe solteira falida e um geek milionário.

Eu li apenas um livro da Jojo Moyes – A última carta de amor, e gostei MUITO. A narrativa é envolvente e totalmente emocionante. A Intrínseca já lançou outros dela que ainda não li, mas confesso que essa sinopse foi a que mais me chamou à atenção. Lerei em breve, com certeza.

Esses são os que eu mais quero ler no momento, mas existem outros lançamentos tão bons quanto. preparem os bolsos e o coração, 2015 promete muitos livros sensacionais. Qual o mais desejado de vocês no momento?


Postado por




13
fev 2015

ARQUIVADO EM: Literatura

Amamanhã-quando-a-guerra-começouanhã #1 – Quando a Guerra começou

Autor: John Marsden

Editora: Fundamento

Número de páginas: 253

Avaliação: 4.5/5

Ellie e mais seis amigos decidem acampar durante alguns dias em um local chamado Inferno que, de acordo com a lenda popular, era o abrigo do Eremita – um homem que matou toda a sua família.

“Não, o Inferno não tinha a ver com lugares. O Inferno tinha a ver com as pessoas. Talvez o Inferno fossem as pessoas.” (Pág. 44)

Durante o acampamento, nada de muito empolgante acontece, a leitura pode ser até um pouco arrastada. Os sete amigos praticamente comem e dormem. No entanto, quando eles retornam e encontram a cidade deserta, as casas saqueadas e vários de seus animais mortos, a narrativa se transforma, ficando totalmente intensa e arrebatadora.

Os jovens ficam desesperados pois suas famílias sumiram, e logo percebem que a pequena cidade de Wirrawee foi tomada por um exército inimigo. Eles precisam rapidamente decidir se vão lutar ou se entregar. 

A história é contada em primeira pessoa por Ellie, ela na verdade está escrevendo uma espécie de diário dos eventos. Ainda que tudo se desenrole pelo ponto de vista de Ellie, John Marsden conseguiu com que nos aproximássemos de todos os personagens, entendendo suas dores e reações. É incrível o quanto eles amadurecem do começo ao final do livro. 

“Eu havia bloqueado todas as minhas emoções, pois não houvera tempo de me dar ao luxo de ser emotiva. Mas é como dizem: se você represa uma emoção, ela vai acabar estourando, uma hora ou outra. E as minhas emoções acumuladas já estavam transbordando.” (Pág. 147)

A distopia criada em Amanhã, Quando a Guerra Começou é totalmente crível, e possível. Acho que de tudo que já li no gênero, é o que mais se aproxima da nossa realidade atual, e isso torna tudo ainda mais brilhante. É importante salientar que eles são adolescentes que estão sozinhos sem nenhuma supervisão, eles não são super-heróis e nem tem estratégias de batalhas, só querem sobreviver e salvar suas famílias. Eles vão vivendo a situação dia após dia, inclusive interesses amorosos existem. E olha, eu achei o romance bem justificado, acontecendo de forma gradual. 

São sete personagens, e cada um foi criado com muito cuidado e detalhes. Fui arrebatada pela trama e lamentei profundamente quando o livro terminou, e eu não tinha o segundo em mãos. O final é bem tenso e emocionante. 

Preciso dizer que sou APAIXONADA pela diagramação dos livros da Editora Fundamento. O capricho é evidente. A capa tem o titulo em relevo, e todas as páginas internas tem detalhes de ilustrações. 

Amanhã, Quando a Guerra Começou, é o primeiro de uma saga com sete livros. É uma leitura tocante e cheia de adrenalina, que vi fisgar o leitor e fazê-lo analisar diversos pontos. Acima de tudo é uma história sobre coragem, amizade e perseverança. Recomendo com toda a certeza, e já quero todos os livros, para ontem. 


Postado por







ilustrações design e desenvolvimento