mm1 mm2 mm3mm4 mm5 mm6 mm7


25
jul 2017

ARQUIVADO EM: Literatura

Autora: Kimberly Brubaker Bradley

Título Original: The War That Saved My Life

Editora: Darkside Books

Número de Páginas:  240

Avaliação: 5/5 ♥ 

Onde Comprar: 

Sinopse: Ada tem dez anos (ao menos é o que ela acha). A menina nunca saiu de casa, para não envergonhar a mãe na frente dos outros. Da janela, vê o irmão brincar, correr, pular – coisas que qualquer criança sabe fazer. Qualquer criança que não tenha nascido com um “pé torto” como o seu. Trancada num apartamento, Ada cuida da casa e do irmão sozinha, além de ter que escapar dos maus-tratos diários que sofre da mãe. Ainda bem que há uma guerra se aproximando. Os possíveis bombardeios de Hitler são a oportunidade perfeita para Ada e o caçula Jamie deixarem Londres e partirem para o interior, em busca de uma vida melhor.

O livro narra a história da pequena Ada, uma menina de apenas 10 anos de idade, que vê a vida passar através da janela de sua casa. Ela nasceu com um pé torto, que por negligência de sua mãe não foi devidamente tratado.

Ada é uma menina inocente, que desde que se entende por gente cuida do irmão mais novo, Jamie. Mal tratada pela mãe (Uma mulher odiosa!), Ada acredita que tudo mudará no dia em que ela aprender a andar normalmente, já que em seu estado atual, o máximo que a menina faz no intuito de se movimentar rapidamente pelos cômodos da casa onde vive, é rastejar. Gente, que dor no coração foi ler essas primeiras páginas e a vida sofrida dessa menininha!

Porém, com a iminência da guerra, a menina e seu irmão são obrigados a se mudar e foi a partir daí que Ada foi salva, e que sua vida mudou completamente, por causa da guerra.

“Foi isso o que aconteceu, embora não como pensei que seria. No fim das contas, foi a combinação das duas guerras – o fim da minha pequena guerra contra o Jamie e o início da grande guerra, a do Hitler – que me libertou.” (Página 13)

Com um enredo diferenciado e singular, Kimberly Brubaker Bradley definitivamente conquistou meu coração. Sempre gostei de histórias que abordavam guerras, especialmente quando são narradas pelo ponto de vista de uma criança. Mas, diferente do que acontece em O Diário de Anne Frank, por exemplo, temos um mundo além da guerra, temos duas crianças aprendendo tudo sobre o universo a sua volta, descobrindo novos sabores, novas emoções, aprendendo a se portar diante de uma nova e melhorada vida.

É um livro dolorosamente lindo e cheio de ternura, apesar de todo o horror causado por Hittler.

Sei que trata-se de uma obra de ficção, e que apesar de retratar tão bem os massacres da guerra, Ada, Jamie e a Srta. Smith não existem, são apenas obra da imaginação fantástica da autora. Porém, foi uma história tão bem feita, tão bem construída e tão rica em detalhes, que é praticamente impossível não se sentir dentro da vida daquelas pessoas. Sabendo disso, cuidei de ler seus capítulos com parcimônia, a fim de construir com os personagens uma relação de afeto real, do qual eu não queria desapegar tão cedo.

A Guerra que Salvou a Minha Vida, deixou marcas profundas em meu coração, é o tipo de livro que lembrarei para sempre, ele me deixou com um nó na garganta, ao mesmo tempo em que apresentou cenas de tanto carinho e ternura que aqueceram minha alma.

Concluo esta resenha completamente apaixonada por tudo o que li, pela autora e pelos personagens. Obrigada Kimberly Brubaker Bradley, por me apresentar uma história tão rara, com a sensibilidade e pureza de uma criança.

“Dei a mão a ela. Um novo e desconhecido sentimento me preencheu. Parecia o mar, a luz do sol, os cavalos. Parecia amor. Vasculhei minhas ideias e encontrei o nome. Felicidade.” (Página 234)

 




Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar
wpDiscuz

ilustrações design e desenvolvimento