mm1 mm2 mm3mm4 mm5 mm6 mm7


23
maio 2017

ARQUIVADO EM: Cinema & TV

como arrasar um coraçãoTítulo Original: L’arnacoeur

Título no Brasil: Como Arrasar um Coração

Criadores: Laurent Zeitoun e Jeremy Doner

Gênero: Comédia/Romance

Ano de Lançamento: 2010

Sinopse: O sedutor Alex (Romain Duris), sua irmã Mélanie (Julie Ferrier) e o marido Marc (François Damiens) são donos de um negócio muito irreverente para clientes terceirizados. Eles são contratados para destruir relacionamentos em que as mulheres estão infelizes. Na trama, contratados por um homem rico para romper o casamento da própria filha e eles têm um tempo limite de apenas dez dias para realizar a missão.

A comédia romântica Como Arrasar Um Coração narra a história de um trio pago para destruir relacionamentos, formado por Alex, a irmã dele (Mélanie) e o marido dela (Marc). O principal responsável por acabar com os relacionamentos é Alex, com seu charme encantador, ele sabe o que as mulheres procuram e necessitam.

O trio é contratado pelo florista e mau-caráter Van der Beck (Jacques Frantz) para eliminar qualquer possibilidade de sua bela filha Juliette (Vanessa Paradis) subir no altar com Jonathan (Andrew Lincoln), um jovem inglês com muito dinheiro que é detestado pelo pai da noiva. O principal problema, além de acabar com o noivado, é que o trio tem pouco mais de uma semana para que a vontade do contratante seja realizada.

No meio da trama Alex passa a ser o “guarda-costas” da noiva para ficar mais perto dela. Com mais contato e convívio, Alex começa a perceber as coisas que Juliette mais admira, e assim eles começam a se gostar.

O longa é filmado em Mônacoum dos lugares mais bonitos do mundo, e mostra a belas paisagens e todo o luxo do local. Em uma das cenas mais legais, Alex e Juliette vão de carro pela estrada do principado ao som do hit Wake Me Up Before You Go-Go, de George Michael.

Port_de_Monaco

Um dos escritores da comédia romântica, Laurent Zeitoun, conta que a ideia de escrever a trama surgiu em um caso ocorrido dentro da própria família. “Minha prima estava apaixonada por um menino desprezível que a fez infeliz e que tinha tatuado o nome de sua ex em seu braço. E ainda afirmou que ele ainda a amava. Aí meu tio me disse: ‘Temos de apresentar um bom cara que vai abrir os olhos dela’. Com uma risada, eu disse: ‘pague um comediante, faça-o improvisar e explique-lhe como amar sua filha (…) a ideia de negócios para quebrar casais veio de lá!’”, contou o escritor francês.

Segundo o diretor do longa, Pascal Chaumeil, Como Arrasar Um Coração não é um filme totalmente politicamente correto. “Há quase um pequeno comentário social subjacente. Alex tem uma condição social menos favorecida que Juliette, a garota que ele tem de seduzir. Implicitamente, é questão de conflitos de classes. […] os métodos utilizados por Alex, por vezes são questionáveis, mas seu trabalho é ajudar as mulheres em suas escolhas de vida.”

Pessoal, espero que vocês curtam essa comédia romântica francesa tão bem produzida e leve de assistir. As atuações são convincentes, o enredo nos envolve e a fotografia do filme é incrível na maravilhosa Mônaco. 🙂



22
maio 2017

ARQUIVADO EM: Cinema & TV

 Título Original: The Other Side of Heaven

Título no Brasil: O Outro Lado do Céu

Direção: Mitch Davis

Gênero: Drama/Aventura/Biografia

Ano de Lançamento: 2001

 

Sinopse: John Groberg (Christopher Gorham) é um jovem missionário que, nos anos 50, embarca em um longa viagem juntamente com os nativos da ilha de Tonga, deixando para trás a noiva e sua família. Ao longo de sua viagem ele escreve cartas para sua noiva, relatando suas aventuras para sobreviver em uma terra desconhecida. Ao mesmo tempo, Groberg conhece a cultura local e faz amigos nos 3 anos que passa longe de casa.

O Outro lado do Céu é um filme delicado, sensível e muito verdadeiro. Baseado em fatos reais, esse é provavelmente, o melhor filme cristão que já assisti em toda a minha vida.

A história de John, que é convocado para prestar serviços como missionário na ilha de Tonga, é muito interessante. Ao longo de sua jornada, ele conhece pessoas muito especiais. Que o ensinarão valores imprescindíveis para a vida, passará também por muitas provações, tentações e momentos de dificuldade que o farão questionar seus atos e escolhas.

Os habitantes de Tonga se apresentam como realmente são, pessoas simples e de bom coração que aceitam aquele forasteiro de braços abertos, ajudando-o em sua adaptação.

Durante sua estadia na ilha, John escreve cartas para sua noiva Jean Sabin, relatando tudo o que esta acontecendo por lá e esses momentos são particularmente muito bonitos. As palavras de Jean são como um bálsamo, onde o missionário encontra forças para continuar sua missão.

Mesmo com todas as dificuldades apresentadas, é admirável a determinação e força de vontade daquele jovem, tentando ajudar o próximo de todas as maneiras possíveis, com seu imenso amor e fé inabalável.

Gostei bastante da atuação de Christopher Gorham, ele desempenhou brilhantemente seu papel. Assim como a jovem Anne Hathaway que em seu primeiro trabalho, executa lindamente o personagem da benevolente noiva.

Histórias baseadas em fatos reais geralmente tocam meu coração, sempre me emocionei com o que o destino reserva para as pessoas.

Com um enredo sensível e história tocante, esse filme sobre fé e simplicidade, arrebatará corações de diferentes maneiras e fará os céticos finalmente acreditarem em amor verdadeiro.

“Querida Jean,

Finalmente chegou o dia, estou indo para casa. Mas, o engraçado, é que parece que estou indo embora de casa. Nesses três anos, eu vivi com um povo que não tem nada, mas tem tudo. Nessa vida navegamos os mares, na próxima, navegaremos o céu. Eu gostaria de ser mais parecido com ele, um barqueiro entre as estrelas, e eu gostaria de ter você comigo. Sua suavidade ao meu lado, ah…Jean. Você irá me amar do outro lado do céu?”



2
maio 2017

ARQUIVADO EM: Cinema & TV

Título Original: Hidden Figures

Direção: Theodore Melfi

Gênero: Drama/Biografia

Ano de Lançamento: 2017

 

Sinopse: 1961. Em plena Guerra Fria, Estados Unidos e União Soviética disputam a supremacia na corrida espacial ao mesmo tempo em que a sociedade norte-americana lida com uma profunda cisão racial, entre brancos e negros. Tal situação é refletida também na NASA, onde um grupo de funcionárias negras é obrigada a trabalhar a parte. É lá que estão Katherine Johnson (Taraji P. Henson), Dorothy Vaughn (Octavia Spencer) e Mary Jackson (Janelle Monáe), grandes amigas que, além de provar sua competência dia após dia, precisam lidar com o preconceito arraigado para que consigam ascender na hierarquia da NASA.

Assisti Estrelas Além do Tempo para acompanhar a premiação do Oscar 2017, como faço todos os anos. E que filme lindo, minha gente!

O enredo narra a história real de três amigas, Katherine Johnson, Dorothy Vaughn e Mary Jackson, três matemáticas, negras, que entre os anos de 1940 a 1960, iniciaram sua jornada rumo a NASA. Provando dia-a-dia, que merecem estar ali, e que apesar das inúmeras dificuldades impostas, elas são capazes, e com determinação e coragem, conseguirão mostrar que foram de extrema importância para a missão Apollo, que levou o homem a lua pela primeira vez.

Estrelado pela ganhadora do Oscar 2016 de melhor atriz, Octavia Spencer, o filme mostra a dura realidade dessas três moças, tentando provar sua capacidade e inteligência, em uma época de pura repressão e preconceito racial. E mesmo que a abordagem do tema tenha ocorrido de forma um pouco mais sutil, acredito que foi um apelo válido. Já que o foco da história, era a chegada do homem a lua e de que maneira o trabalho dessas três jovens influenciou para esse fato histórico.

 

“- O que faria uma mulher de cor ir a uma faculdade de brancos?

[…] – Excelência, você deveria entender a importância de ser o primeiro.

– Como assim, Sra. Jackson?

– Você foi o primeiro da família a servir ás Forças Armadas. Marinha dos Estados Unidos. O primeiro a ir à universidade George Mason. E o primeiro juiz estadual a ser reempregado por três governadores consecutivos.

– Você andou pesquisando.

-Sim, senhor.

– O que quer dizer?

– Excelência, nenhuma negra em Virginia estudou num colégio de brancos. Nunca aconteceu.

– Sim, nunca aconteceu.

– E antes de Alan Shepard sentar no topo de um foguete, nenhum outro americano havia ido ao espaço. E, agora, ele será sempre lembrado como o americano de New Hampshire, o primeiro a tocar nas estrelas. E eu, senhor, planejo ser uma engenheira na NASA. Mas não conseguirei sem estudar naquela faculdade para brancos. E não posso mudar a cor da minha pele.

Então, não tenho escolha, exceto ser a primeira. O que não posso fazer sem o senhor.”

Em suma, Estrelas Além do tempo cumpre de forma brilhante o papel de apresentar ao mundo a história dessas três personagens encantadoras, que ousaram quebrar paradigmas em um ambiente claramente hostil e de preconceitos enraizados.  Assistam, vale muito a pena!



4
abr 2017

ARQUIVADO EM: Cinema & TV


Título Original:
This Is Us

Criador: Dan Fogelman

Gênero: Drama

Ano de Produção: 2016

Sinopse: A série acompanha um grupo especial de indivíduos, cujos caminhos se cruzam e suas histórias de vida se entrelaçam de forma curiosa.

Assisti This Is Us em princípio porque me encantei pela sinopse e pelas histórias desses personagens. Produzida pelo canal NBC, e ainda sem previsão de exibição no Brasil, a série possui um enredo lindo e histórias fascinantes que conquistaram o público logo em sua estreia.

A série narra três histórias de pessoas que nasceram no mesmo dia, mês e ano. Pessoas diferentes, cujos destinos estão intrinsecamente ligados, e mesmo que eu não tenha percebido isso em um primeiro momento, essa ligação deixou a história ainda mais especial e encantadora.

Logo no primeiro episódio, nós somos apresentados ao casal Rebecca e Jack, que estão “grávidos” de trigêmeos e estão enfrentando complicações com o parto.

Em seguida, temos Randall, um rapaz bem sucedido, casado e pai de duas meninas, que descobre o paradeiro de seu pai biológico, e buscando respostas sobre seu passado, decide levá-lo para casa e apresenta-lo a sua família.

Conheceremos Kate, uma garota com distúrbios alimentares que sempre teve problemas com a balança, tendo que desde muito jovem lidar com isso, enquanto seu irmão gêmeo, Kevin, encontra-se insatisfeito com o atual emprego. Ator em uma série de sucesso, Kevin acredita que esse trabalho não é compatível com o seu perfil e que merece alçar vôos maiores em sua carreira.

A série questiona temas importantes e cheios de significado, e a delicadeza como os aborda é simplesmente encantadora. As histórias apresentadas nos ensinam a ser mais humanos e a lidar melhor com as diferenças, exibindo aspectos diversos de cada situação.

Dessa maneira, a trama nos mostra como cada pessoa enxerga o mundo a sua volta, como somos desiguais e como essa desigualdade, seja física ou social, nos afeta.

Eu gostei bastante e recomendo muito, This Is Us é uma série linda e promissora que em poucos capítulos nos ensina valores tão importantes para a vida, que é praticamente impossível não se apaixonar por esses personagens.

Assista, e tenho certeza que assim como eu, você será arrebatado por três diferentes histórias de vida, três diferentes maneiras de lidar com o inexorável destino, três diferentes histórias de amor.



14
mar 2017

ARQUIVADO EM: Cinema & TV


Título Original: Reign

Título no Brasil: Reinado

Criadores: Laurie McCarthy e Stephanie SenGupta

Gênero: Drama/Histórico

Ano de Lançamento: 2013

 

Sinopse: Perigos e intrigas espreitam cada canto desse castelo sombrio nesta história da jovem, Mary, Rainha da Escócia. Depois de passar a infância escondida e segura em um monastério, a adolescente Mary Stuart (Adelaide Kane) chega na França, onde ela foi enviada para garantir a aliança estratégica da Escócia, formalizando seu noivado arranjado com o filho do rei francês, o príncipe Francis (Toby Regbo). Complicando ainda mais as coisas tem Bash (Torrance Coombs), bonito, malandro, meio-irmão de Francis e a mãe, a rainha Catherine (Megan Follows). Quando é obstinada, a rainha descobre uma profecia de que o casamento de Mary e Francis vai custar a vida dele, ela está determinada a salvar o filho, não importa quantas pessoas tenham que pagar com suas vidas.

A série irá narrar à história da ascensão de Mary Stuart, rainha da Escócia.

Prometida em casamento para o príncipe Francis, Mary inicialmente terá que lutar por essa união, uma vez que a mãe do noivo, a rainha Catherine de Médice, é contra, já que seu fiel escudeiro Nostradamus previu que esse matrimônio culminaria na morte de seu amado filho.

Mas, a trama começa mesmo na França, no ano de 1557, quando Mary, descendente legítima de Jaime V, foi criada em um convento para sua segurança desde os 9 anos de idade, sendo constantemente vigiada.

Quando sua provedora come algo envenenado, uma sopa destinada à Mary, certamente enviada por alguém ligado à corte da Inglaterra numa tentativa clara de exterminar a Rainha da Escócia, Mary se vê obrigada a embarcar imediatamente rumo à corte Francesa, uma vez que sua segurança ultrapassou os muros do convento.

Entretanto, não será fácil para ela lidar com os conflitos sociais e políticos que envolvem as duas cortes, ainda mais quando encontra uma rival tão poderosa em seu caminho como Catherine de Médice, que visando proteger o filho da morte iminente, não medirá esforços para impedir essa união.

Baseada na vida da rainha da Escócia, Reign é rica em detalhes históricos, e mesmo não sendo totalmente fiel aos fatos, a série é primorosa  e consegue prender a atenção do telespectador até o fim.

Reign é transmitida originalmente pelo canal The CW desde 17 de outubro de 2013. No Brasil, a série é exibida exclusivamente por streaming com direitos reservados à Netflix desde Novembro de 2015 e esta no ar em sua 4° e última temporada desde fevereiro de 2017.

Repleta de ação, intrigas políticas e perigos iminentes, Reign é uma ótima série para os fãs de romance de época. Recomendo demais!



28
fev 2017

ARQUIVADO EM: Cinema & TV

 

Título Original: La La Land

Título no Brasil: La La Land – Cantando Estações

Direção: Damien Chazelle

Gênero: Comédia/ Musical/Romance

Ano de Lançamento: 2016

 

Sinopse: Ao chegar em Los Angeles o pianista de jazz Sebastian (Ryan Gosling) conhece a atriz iniciante Mia (Emma Stone) e os dois se apaixonam perdidamente. Em busca de oportunidades para suas carreiras na competitiva cidade, os jovens tentam fazer o relacionamento amoroso dar certo enquanto perseguem fama e sucesso.

Amo musicais e por esse motivo, eu precisava conhecer esse filme tão aclamado, recordista de indicações ao Oscar 2017 (14 indicações) e vencedor de tantos prêmios.

Contado durante as quatro estações do ano, La La Land, narra a história de uma aspirante a atriz e um pianista, que tem seus destinos cruzados, Ela por amor a arte, Ele pelo amor ao Jazz. Dois sonhadores que descobrem que viver de sonhos pode ser difícil, mas viver por eles é irresistível!

Mia, que é atendente em uma cafeteria, localizada nos arredores de um grande estúdio, esta em busca do sonho de se tornar uma grande atriz, ao passo que Sebastian cultiva o sonho de abrir o próprio negócio e tornar o jazz um ritmo aceito por todos.

Amei o filme, é lindo demais! A escolha dos atores foi perfeita. Emma Stone e Ryan Gosling dão um show de interpretação com performances dignas dos melhores musicais da Broadway.

Com muita música, dança e uma história cativante, o vencedor de 7 Globos de Ouro, incluindo de Melhor Filme, é uma ode a Los Angeles, um filme que nos remete a Hollywood dos anos 1950/1960, onde o casal protagonista busca a realização de seus sonhos de forma bem humorada e contagiante.

Romântico e divertido, La La Land, é sem dúvida, um filme obrigatório para aqueles que estão saudosos de um bom musical. Divirtam-se!



31
jan 2017

ARQUIVADO EM: Cinema & TV

Título Original: About Time

Título no Brasil: Questão de Tempo

Direção: Richard Curtis

Gênero: Romance/Drama/Fantasia

Ano de Lançamento: 2013

Sinopse: Ao completar 21 anos, Tim (Domhnall Gleeson) é surpreendido com a notícia dada por seu pai (Bill Nighy) de que pertence a uma linhagem de viajantes no tempo. Ou seja, todos os homens da família conseguem viajar para o passado, bastando apenas ir para um local escuro e pensar na época  no local para onde deseja ir. Cético a princípio, Tim logo se empolga com o dom ao ver que seu pai não esta mentindo. Sua primeira decisão é usar esta capacidade para conseguir uma namorada, mas logo ele percebe que viajar no tempo e alterar o que já aconteceu pode provocar consequências inesperadas.

O filme conta de forma singela, a história do tímido Tim. Um rapaz que descobre aos 21 anos que possui poderes especiais de viajar no tempo.

Cético, Tim não acredita no que esta ouvindo. Porém, depois de viajar no tempo e refazer a desastrosa última festa de fim de ano, ele passa  a crer verdadeiramente que possui um dom especial.

De posse desse segredo compartilhado por seu pai, Tim resolve então, usar tal poder para conquistar o coração de Mary (Rachel McAdams), uma bela jovem, fã da modelo Kate Moss, que ele conheceu durante um inusitado encontro às escuras e por quem ficou absolutamente encantado.

“[…] eu tento viver cada dia como se tivesse voltado propositalmente para esse dia, para curtir, como se fosse o último dia inteiro da minha vida extraordinária e comum.” 

questao-de-tempo

Entretanto, nem tudo são flores na vida de Tim, e suas viagens no tempo acabarão afetando a vida e os destinos de todos a sua volta.

Questão de Tempo é um filme lindo e delicado, com belas imagens de Londres e do Reino Unido, que nos faz refletir sobre a vida e como seria se nós pudéssemos ter uma segunda chance para nossos atos do passado. 

Indicação mais do que recomendada, assista e viaje com Tim e sua família, nesse mundo fantástico, repleto de amor e encantamento.

“Todos estamos viajando no tempo juntos, todos os dias de nossas vidas. Tudo o que podemos fazer é o nosso melhor, é aproveitar esse passeio maravilhoso.”



17
jan 2017

ARQUIVADO EM: Cinema & TV

Título Original: Switched at Birth

Título no Brasil: Switched at Birth

Criador: Lizzy Weiss

Gênero: Drama

Ano de Lançamento: 2011

 

Sinopse: Bay Kennish (Vanessa Marano) e Daphne Vasquez (Katie Leclerc) são duas adolescentes que descobrem que foram trocadas acidentalmente no hospital ao nascerem. Bay cresceu em uma família rica, com seus pais e o irmão, enquanto Daphne, que perdeu a audição ainda criança devido a um caso de meningite, mora com a mãe em um bairro pobre.

Agora as duas famílias precisam aprender a conviver juntas para o bem das garotas.

A série narra a história de Bay e Daphne, duas garotas que foram trocadas na maternidade  e só descobrem anos depois, por puro acaso.

Bay, foi criada na abastada família Kennish, com todas as regalias e privilégios de filhos de classe média alta, criada por John e Kathryn, Bay tem um irmão e uma boa vida, mas sempre se sentiu uma “estranha no ninho”.

Daphne por sua vez, foi criada de forma mais humilde por Regina Vasquez e sua avó Adriana. Apesar de também achar estranho que sua aparência fosse tão diferente de seus parentes, ela estava feliz com a vida que levava.

Até que um dia, durante uma aula de ciências, Bay descobre que seu tipo sanguíneo não é compatível com o de seus pais e resolve fazer um teste de DNA, confirmando suas suspeitas.

A partir daí, as duas famílias são apresentadas e optam por viverem juntas, para que suas filhas possam se adaptar a essa nova realidade.

Achei a premissa da série bastante interessante, a história de duas crianças trocadas na maternidade que só descobrem o acontecido 16 anos depois, me tocou profundamente.

Outro tema muitíssimo interessante discutido na série, é a deficiência auditiva.

Daphne, filha biológica do casal Kennish, criada por Regina Vasquez, foi acometida por meningite na infância, tendo como sequela a perda total da audição.

“Essa é a desvantagem de ser surda. As pessoas irão caçoar de você. Irão te rotular. Terá que lutar bem mais para ser levada a sério.”

 

O curioso, é que o foco principal da série não é a surdez, mesmo que isso esteja latente em vários momentos, o ponto central aqui é a troca dos bebês, e a vida dessas adolescentes a partir daí; as mudanças de comportamento pertinentes à idade e tudo mais, o que deixa a série ainda melhor.

Lógico que é importante abordar o tema da deficiência auditiva, mas em Switched at Birth, parece que os criadores quiseram mostrar que os surdos podem sim ter uma vida absolutamente normal, apesar das adversidades, e é verdade, eles podem mesmo. Achei maravilhoso o questionamento do tema!

Switched at Birth teve seu término anunciado na 5° temporada em 2017, mas fica a saudade e a mensagem dessa linda e sensível história, que conta de forma magnífica, a vida e rotina dessas famílias que tiveram seus destinos cruzados de forma tão surpreendente. Assistam, vale muito a pena!

 



27
dez 2016

ARQUIVADO EM: Cinema & TV

adaline-capa Título Original: The Age of Adaline

Título no Brasil: A Incrível História de Adaline

Direção: Lee Toland Krieger

Gênero: Drama/Romance/Fantasia

Ano de Lançamento: 2015

 

Sinopse: Adaline Bowman nasceu na virada do século XX. Ela tinha uma vida normal até sofrer um grave acidente de carro. Desde então, ela, milagrosamente, não consegue mais envelhecer, se tornando um ser imortal com a aparência de 29 anos. Ela vive uma existência solitária, nunca se permitindo criar laços com ninguém, para não ter seu segredo revelado. Mas ela conhece o jovem filantropo, Ellis Jones (Michiel Huisman), um homem por quem pode valer a pena arriscar sua imortalidade.

Estrelado pela belíssima Blake Lively (Gossip Girl), A Incrível História de Adaline é um romance completamente atípico em que uma mulher esta presa a um corpo de 29 anos de idade, condenada a permanecer jovem para sempre, quando na verdade passaram-se décadas sem que ninguém além dela própria soubesse disso.

“No dia 31 de dezembro de 2014, um táxi viajava através de São Francisco, de Chinatown para Merrill.

O carro transportava um único passageiro, uma mulher. Seu nome de batismo é Adaline Bowman. Atual Pseudônimo: Jennifer Larson. Este é o primeiro e último capítulo da história dela.”

Com o passar dos anos, Adaline muda de identidade e de cidade para preservar seu segredo, tendo como confidente apenas sua filha.

É angustiante ver a personagem tendo que se esconder em sua solidão para não ser considerada uma aberração e escapar de olhares curiosos ou perguntas indiscretas por causa de sua idade, ao mesmo tempo em que vê seus entes queridos partindo enquanto seu implacável destino permanece inalterado.

Quando Adaline conhece o encantador Ellis, tudo parece mudar. No entanto, mais uma vez a moça é surpreendida por acontecimentos de seu passado, sendo forçada a mudar seu destino, presente e futuro.

Ellen Burstyn (House of Cards) e Harrison Ford (Star Wars – O Despertar da Força) também emprestam seu talento nessa obra de fotografia impecável e figurino perfeito.

Com um desfecho tão surpreendente quanto seu início, a história de Adaline é comovente e interessante, e mesmo que não seja um filme espetacular e cheio de grandes feitos, cumpre brilhantemente seu papel de entreter os fãs de fábulas e histórias fantásticas. Por isso, recomendo muito para aqueles que curtem o gênero e para os românticos de plantão.

“- Como isso é possível?

– Eu não sei, eu era normal…até que um dia parei de envelhecer!”



20
dez 2016

ARQUIVADO EM: Cinema & TV

nashville-1Título Original: Nashville

Título no Brasil: Nashville: No Ritmo da Fama

Criador: Callie Khouri

Gênero: Musical/Drama

Ano de Produção: 2012

Sinopse: Contrariando a vontade do pai Lamar Hampton (Powers Boothe, de Deadpool), um importante empresário do Tenesse, Rayna James (Connie Britton, de American Horror History) seguiu carreira de cantora, tornando-se uma estrela de música country. Casada com Teddy (Eric Close, de Without a Trace), com quem tem duas filhas (Lennon e Maisy Stella), Rayna começa a viver a inevitável queda de popularidade. Assim, é forçada por sua gravadora a fazer turnê com uma estrela que esta em ascensão, Juliette Barnes (Hayden Pattiere, de Heroes), que Rayna considera uma cantora sem talento. Esta, por sua vez, é ambiciosa e busca formas de subir rapidamente na carreira.

Assisti Nashville simplesmente por gostar de séries musicais e foi uma grata surpresa. Sinceramente, não esperava gostar tanto assim, virou uma verdadeira febre.

Ambientada no cenário country, a série narra as histórias de Rayna James e Juliette Barnes, a primeira, cantora country de sucesso que vê sua popularidade diminuir drasticamente com o passar dos anos.

Juliette por sua vez, é a nova musa da música country, esta no auge do sucesso, porém, com seus maus hábitos e temperamento difícil, também esta com a carreira em risco.

Por essa razão, a gravadora resolve juntar as cantoras em uma turnê, visando recuperar o sucesso de Rayna e a credibilidade de Juliette, mesmo a contragosto de ambas.

Rayna é bonita, popular e praticamente tem o mundo a seus pés. Casada e mãe de duas filhas, ela tenta conciliar a carreira artística e a família, mas isso nem sempre da certo.

Juliette é mimada, egoísta e egocêntrica. Mandona, acha que todos tem que se curvar às suas ordens e satisfazer os seus caprichos, e esse temperamento explosivo pode lhe custar caro.

Duas cantoras com temperamentos e estilos de vida diametralmente opostos, que precisam se unir para salvar suas carreiras.

A série conta também com personagens bastante especiais, como a belíssima Scarlett O’Connor e sua linda e delicada voz, Gunnar Scott e seu absurdo talento para compor, Avery Barkley, um rapaz ambicioso que almeja alcançar o estrelato no mundo da música a mais rápido possível. E por último, mas não menos importante, temos Deacon Clayborne, parceiro musical  e eternamente apaixonado por Rayna, Deacon é um músico talentoso que vê a chance de reconquistá-la se esvair, quando se deixa levar pelo alcoolismo.

Enfim, não posso falar mais para não correr o risco de dar spoiler, mas, vale muito a pena dar uma chance para essa série.

Para os fãs que ficaram tristes com a possibilidade de cancelamento após a 4° temporada, uma boa notícia, a série foi renovada para seu quinto ano de exibição contando com 22 novos episódios. Espero que o sucesso dos anos anteriores continue, estou louca para rever os personagens!

Portanto, se você gosta de séries cheias de histórias conflitantes, segredos e muita música, Nashville é pra você!

 nashville-3






ilustrações design e desenvolvimento