07 ago, 2018

Flores Partidas, de Karin Slaughter

Autora: Karin Slaughter

Título Original: Pretty Girls

Editora: HarperCollins

Número de Páginas: 464

Avaliação: 5/5

Onde Comprar:

Sinopse: Quando Lydia contou para a irmã que o cunhado havia tentado estuprá-la, Claire não acreditou. Dezoito anos depois, porém, tudo o que Claire achava saber sobre o marido se provou uma mentira. Quando vídeos escondidos no computador de Paul mostram uma face terrível do homem que ela julgava conhecer, Lydia percebe que o drama de sua família tem muitas camadas que precisarão ser descobertas antes que a assustadora verdade por fim venha à tona.

Antes de começar a resenha, aconselho que você leia A garota dos olhos azuis, livro que precede Flores Partidas e ajudará a compreender ainda melhor o universo da família Carroll.

Contudo, não é uma obrigação, apenas uma sugestão. Flores Partidas vai contar a história de Lydia, Claire e Julia Carroll. Três irmãs de personalidades e estilos de vida diferentes.

Em 4 de março de 1991, Julia Carroll sumiu. Ela tinha 19 anos e seu desaparecimento ainda é um mistério para toda a família.

Lydia levava uma vida desregrada, usava drogas e por conta de seu comportamento mundano, acabou se afastando de Claire. Nos dias atuais, Lydia vive uma vida simples ao lado da filha Dee.

Nesse ínterim, Claire se casou com Paul, um jovem estudioso e promissor, por quem se apaixonou na época da faculdade e seria o seu príncipe encantado, eles formavam o casal perfeito.

Durante um assalto dentro de um beco escuro, Paul é assassinado e é a partir de então que começa uma minuciosa investigação sobre sua morte.

Quando Claire descobre os segredos obscuros do marido Paul, nada parece fazer mais sentido para ela. Afinal, quem era aquele homem? Como ele conseguiu enganá-la por tantos anos? Eram perguntas que a esposa traída se fazia.

“- Se Paul fosse uma pessoa ruim, Little Ham saberia. – Claire sabia que sua defesa era fraca, mas não conseguiu parar. – Não dizem que as pessoas ruins odeiam os animais?” (Página 122)

Essa foi uma das experiências de leitura mais intensas de toda a minha vida. Eu sofri, chorei, fui rasgada, dilacerada e queimada por essa história. Algo surreal acontece e as 464 páginas passam numa velocidade tão impressionante, que quando você se da conta, acabou.

Numa trama repleta de surpresas e reviravoltas espetaculares, Karin Slaughter faz jus ao título de rainha do suspense ao conectar pontos cruciais da história e imprimir com maestria toda a dor e sofrimento dos personagens. Simplesmente sensacional!

Com um ritmo frenético e uma narrativa intensa, Flores Partidas é visceral. É um livro para poucos, pois é preciso ter estômago forte, uma vez que ele irá testar os limites do leitor, sua tolerância ao sofrimento alheio, a dor e a todo tipo de atrocidades.

Leitura recomendadíssima, especialmente para quem é fã de um bom thriller, leiam!

31 jul, 2018

Anne with an E

Título Original: Anne

Título no Brasil: Anne with an E

Criador: Moira Walley-Beckett

Gênero: Drama

Ano de Lançamento: 2017

Sinopse: Depois de treze anos sofrendo no sistema de assistência social, a orfã Anne é mandada para morar com uma solteirona e seu irmão. Munida de sua imaginação e de seu intelecto, a pequena Anne vai transformar a vida de sua família adotiva e da cidade que lhe abrigou, lutando pela sua aceitação e pelo seu lugar no mundo.

Passada no século XIX, a série narra a saga da órfã  Anne Shirley, que é levada por engano pelo casal de irmãos solteirões Matthew e Marilla Cuthbert , que inicialmente pretendiam adotar um menino para ajuda-los a cuidar de sua propriedade. Mesmo estando dispostos a adotar uma criança, os dois foram pegos totalmente de surpresa com a chegada da tagarela menina a Green Gables.

“- Matthew Cuthbert, quem é essa?  Onde esta o menino?”

Anne é uma criança otimista e cheia de esperança, e vê nos irmãos Cuthbert a chance de finalmente pertencer a uma família, tendo em vista que já passou por maus bocados nos lares adotivos por onde esteve, recorrendo muitas vezes aos livros como forma de fugir de sua dura realidade.

“Querida Rainha da Neve, eu aceito a sua oferenda. Tivesse eu um livro, colocaria essas flores sagradas entre as páginas para me lembrar para sempre deste momento tão precioso.

No entanto, eu Princesa Cordélia, estimarei este presente para sempre.”

Em meio ao preconceito e com um leve toque de feminismo, que percebemos ser a frente de sua época, Anne usa seu amor pela poesia e suas inúmeras qualidades para sobreviver em sua nova realidade e mostrar seu valor.

Ela é o tipo de pessoa que acredita no próximo e mesmo com tudo o que já passou, Anne sempre tem algo de belo a dizer. Com colocações um tanto dramáticas e por vezes até impertinentes, a ruivinha enxerga o mundo com olhos otimistas e sonhadores, e um dos grandes méritos da trama esta justamente em abordar a realidade pelo olhar lúdico da protagonista.

 

 

Porém, ao mesmo tempo em que somos apresentados a beleza da série e suas paisagens deslumbrantes, também assistimos a cenas muito cruéis, quando  Anne se depara com colegas de sala de aula extremamente preconceituosos e perversos.

Anne não entende o que pode haver de errado com ela, já que é uma criança perfeitamente normal, e por esse motivo, a menina luta bravamente para provar que merece estar na nova cidade, tenta conquistar a todos e fazer novos amigos com sua perspicácia e inteligência poética. Enquanto nós aqui do outro lado da tela, ficamos apenas torcendo para que tudo de certo com ela.

Em meio a todo o turbilhão de novidades, acompanhamos ainda o começo do que promete ser o romance mais fofo do mundo, entre nossa tagarela protagonista e seu colega de sala, Gilbert Blythe.

A relação dos dois começa um pouco conturbada, uma vez que ambos são alunos competitivos e buscam sempre superar um ao outro nas atividades escolares.

Porém, fora a concorrência em sala de aula, Gilbert enxerga em Anne muito além de seus cabelos vermelhos e suas sardas. Ele é um dos poucos que a trata de igual para igual, sem depreciá-la ou desmerecer seus talentos. Pelo contrário, ele é grato por conhecer alguém tão sagaz quanto ele em muitos aspectos. É uma lindeza de amizade, minha gente!

Baseada na obra Anne de Green Gables, da autora Lucy Maud Montgomery, o livro é considerado um dos maiores clássicos da literatura canadense. Foi publicado em 1908 e chegou ao Brasil por volta de 1939 pela Companhia Editora Nacional. A emocionante história de Anne teve tanto sucesso que inicialmente tornou-se uma saga de seis livros, e atualmente divididos em uma trilogia, foi publicado no Brasil pela editora Pedra Azul.

Curiosamente, a série exibida hoje pela Netflix não é a primeira adaptação do livro, talvez seja a mais famosa sem dúvida, mas existiram outras, como no ano de 1919 quando foi adaptado para um filme mudo, e em 1985, quando virou uma minissérie também muito popular.

Com um total de 17 incríveis episódios, Anne with an E, conta no momento com duas temporadas de puro encanto e doçura.

Sábia e poética, Anne Shirley nos ensina a sonhar, nos leva para seu mundo de fantasia e nos mostra como conseguiu superar as adversidades e transformar sua trajetória, com a ajuda de sua vasta imaginação e de seus amados livros. Série recomendadíssima, assistam!

03 jul, 2018

Volte para Mim, de Paola Aleksandra


Autora:
Paola Aleksandra

Editora: Essência

Número de Páginas: 304

Ano de Publicação: 2018

Avaliação: 5/5

Sinopse: Aos dezesseis anos, Brianna Hamilton fugiu da Inglaterra para a Escócia, abandonando sua família e as obrigações com herdeira de um duque. Em meio aos prados escoceses, a jovem encontrou refúgio e descobriu mais sobre a mulher que desejava ser. Mas, onze anos após sua fuga, uma dolorosa verdade fará com que ela deseje nunca ter partido.

Voltar será como relembrar o passado, a fuga, o medo e as escolhas que precisou fazer. E, enquanto luta para reconquistar seu lugar junto à família, Brianna precisará superar Desmond Hunter, melhor amigo e primeiro amor, que anos antes ela escolheu deixar para trás.

Volte para Mim é um romance arrebatador sobre recomeços, sentir-se inteira, e acima de tudo, confiar no amor.

O livro narra a história de Brianna Hamilton, uma destemida garota escocesa que buscando encontrar a si mesma, foge de casa aos 16 anos rumo á Escócia.

Porém, onze anos depois, ela se vê obrigada a retornar ao seio da família que havia abandonado anos atrás, e mesmo que as lembranças que carrega consigo sejam demasiadamente dolorosas, ela precisará superá-las em nome de um bem maior.

“Eles estarão perdidos sem ela, Milady. Talvez seu retorno os ajude a atravessar tamanha dor. Então volte, engula o orgulho e volte.” (Página 24)

Com todos esses conflitos a sua volta, é fundamental que Brianna seja forte para provar que realmente cresceu e merece uma segunda chance.

Além da história de sua família, nossa protagonista também se verá desnorteada quando perceber que Desmond Hunter, seu melhor amigo e primeiro amor, ainda esta bem presente em sua vida e em seu coração.

Como explicar as escolhas que fez onze anos atrás sem ferí-lo?

“- Promete que voltará para mim?

Eu queria gritar que o levaria, no coração e em minhas memórias, para onde quer que fosse. Que eu devia partir, mas também precisava dele ao meu lado.” (Página 97)

A autora escreve com extrema sensibilidade e carinho com o leitor, e fez de Brianna uma personagem forte e corajosa, que não mede esforços para conseguir o que deseja. Um verdadeiro exemplo de empoderamento feminino em pleno século XIX.

Com uma premissa encantadora, um casal de protagonistas arrebatador e cenas deslumbrantes, o livro de estreia de Paola Aleksandra,  caminha para o sucesso nos romances do gênero, por dar maior relevância a trajetória de sua protagonista sem desmerecer o amor de dois jovens que foram abruptamente afastados sem maiores explicações, e nos ensina que os recomeços são necessários, assim como o perdão é a mola propulsora para que uma nova vida seja reconstruída. Lindo, lindo, lindo! Leiam…

“Volte para mim – Sussurrei ao vento, orando para que os céus abençoassem nosso amor. (Página 233)  

 

27 jun, 2018

Goblin

Título Original: Goblin: The Lonely and Great God

Título no Brasil: Goblin

 Emissora: TvN

 Gênero: Romance/Fantasia

 Ano de Lançamento: 2016

Sinopse: Nos tempos antigos, Kim Shin era um general invencível, mas o jovem rei tinha ciúmes de sua grandiosidade e o mata. Kim Shin se torna um Dokkaebi (Goblin), sendo agora imortal. A princípio ele pensa que isso é uma benção, mas logo descobre que trata-se de uma maldição. Kim Shin tem esperado 900 anos por uma noiva que vai acabar com esse infortúnio.
Em uma noite, ele salva uma mulher grávida que estava destinada a morrer. A bebê é chamada de Ji Eun Tak e quando ela completa 9 anos, sua mãe morre. A menina vê fantasmas e conversa com eles constantemente.
Nos dias atuais, Eun Tak é uma estudante do ensino médio, e escuta dos fantasmas que ela é a noiva do Goblin. Enquanto isso, Kim Shin conhece um Ceifador e coincidentemente acabam morando na mesma casa.

Goblin é aquele tipo de história que você sabe que vai se emocionar em algum momento, mas não sabe bem quando vai cair a primeira lágrima. Afinal, como expressar em palavras todas as vezes que meu coração acelerou, sofreu e se aqueceu em cada cena desse drama incrível?

Com paisagens encantadoras e locações belíssimas, Goblin vai contar a trágica história de Kin Shin, um fiel general que em decorrência de intrigas e jogo de poder, é assassinado a mando do rei, transformando-se assim em um Goblin, imortal.

Passados novecentos anos de sua existência na terra, o ser imortal esta em busca de sua noiva, pois seria a única a acabar com seu sofrimento, ceifando sua vida eterna.

Porém, nada nesse drama é tão simples quanto parece. Porque Kin Shin, de posse de seu poder, gosta de interferir na vida dos humanos, seja brincando de cupido ou simplesmente guiando os passos das pessoas.

E foi assim que ele finalmente encontrou sua noiva. Quando em uma noite fria, uma moça é atropelada e a beira da morte, clama por socorro. O ser imortal, ouvindo sua suplica resolve ajudar, por ela e pela filha que espera em seu ventre.

O que o Goblin não sabia, é que ao salvar aquela moça, ele mudou seu destino para sempre. Pois ela, trazia dentro de si, alguém que poderia salvá-lo de sua triste sina imortal e finalmente libertá-lo de anos de sofrimento.

Quando a criança, que recebeu o nome de Ji Eun Tak, completa 9 anos de idade, sua mãe termina sua missão aqui na terra e finalmente morre. O que deveria ter acontecido anos atrás, quando seu destino foi abruptamente alterado por Kin Shin.

Apesar da saudade que sente de sua mãe, Eun Tak cresce de forma saudável e vive sua vida discretamente, suportando os maus tratos da família de sua tia. Uma ambiciosa mulher que só pensa em explorar a sobrinha e não mede esforços para conseguir dinheiro.

Nessa fantasia surreal, temos ainda a figura do Ceifador. Um ser igualmente imortal que visa encaminhar as almas para o céu.

Tudo nessa história tem seu encanto, e a maneira como as coisas se encaixam é perfeita! Tudo vai fazendo sentido, é uma história onde protagonistas e antagonistas tem seu lugar, e cada um cumpre de maneira excepcional seu papel.

Com paisagens estonteantes e trilha sonora perfeita, Goblin é um K-Drama lindo que trata de maneira sensível temas fortes como a morte e a imortalidade,   e nos ensina lições importantes sobre fé, amizade, amor e compaixão. É lindo demais! Recomendadíssimo!

19 jun, 2018

Uma Mentira Perfeita, de Lisa Scottoline

Autora: Lisa Scottoline

Título Original: One Perfect Lie

Editora: HarperCollins

Número de Páginas: 400

Avaliação: 4/5

Sinopse: Chris Brennan acaba de se mudar para Central Valley, na Pensilvânia. Ele veio atrás de um emprego como professor substituto e treinador de beisebol na escola de ensino médio local, com um currículo impecável e boas maneiras que só um bom homem poderia ter. Mas tudo sobre ele é uma mentira. Seu nome é um pseudônimo, seu currículo é falso. E ele veio para a cidade com um plano, que a princípio é perfeito – e para cumpri-lo, precisa ficar de olho no time de beisebol. Encontrar o que precisa para cumprir seus planos não deve ser tarefa difícil, e Chris foca sua busca em três meninos cujas vidas (e as de suas mães) giram em torno do time: Raz Sematov, o arremessador, um menino geralmente alegre e bem humorado que acabou de perder o pai; Evan Kostis, que é rico, mimado e problemático além de ser a sensação do time, e Jordan Larking, o novato, um garoto tímido e reservado.

Chris Brennan pleiteava uma vaga como professor na Escola de Ensino Médio de Central Valley. De boa aparência  e linguajar impressionante, Chris agradou seus superiores desde o momento em que se apresentou. O que ninguém suspeitava, é que aquele homem simpático e solícito, na verdade, escondia muitos segredos. A começar pelo seu verdadeiro nome: Curt Abbott.

“- Bem, isso parece maravilhoso! Devo dizer, que você fez jus a todas as minhas expectativas. – Dra. McElroy sorriu calorosamente e fechou a pasta com os arquivos. – Parabéns, Chris, a vaga é sua! Deixe-me ser a primeira a lhe dar as boas-vindas à Escola de Ensino Médio de Central Valley.

– Ótimo! – Chris estendeu a mão sobre a mesa e mostrou seu sorriso mais sincero.

Era hora de pôr o plano em marcha, de começar com o primeiro passo.” (Página 20)

Em princípio, eu não estava entendendo muito bem qual a real intenção de Chris em ser professor naquela escola e o porquê dele insistir na inimizade entre os jogadores do time em que treinava. Seu plano, apesar de muito bem elaborado, ainda não fazia muito sentido.

“Chris não sabia se aquele seria o resultado, mas mesmo que não fosse, funcionava para seus propósitos. Agora Jordan ficaria zangado com Raz por ter estragado sua grande oportunidade. Chris filmou o fracasso e deu um tapinha nas costas de Jordan depois, dizendo-lhe que  fariam aquilo de novo em outro momento. Jordan e Raz não disseram outra palavra um para o outro durante o resto do treino, e saíram separados do ginásio.

As coisas não poderiam ter saído piores para Jordan e Raz. E não poderiam ter saído melhores para Chris.” (Página 80)

Porém, tudo começou a se encaixar e a estratégia de Chris foi se materializando de forma extraordinariamente inacreditável! Os meninos eram peças fundamentais de um quebra-cabeças incrível que Chris estava disposto a resolver de qualquer maneira.

O novo treinador estava na escola para desvendar um enigma, para procurar culpados e principalmente para proteger inocentes.

“Ele provavelmente estava pensando que Chris/Curt era um herói, que tinha feito o trabalho dele, mesmo que isso significasse contar uma grande mentira.” (Página 384)

Achei muitíssimo interessante o modo como a autora resolveu começar essa história, com um ar de mistério, para aos poucos ir revelando as nuances de sua trama.

Esse foi o meu primeiro contato com a escrita de Lisa Scottoline, mas gostei bastante de Uma Mentira Perfeita, por atiçar a curiosidade do leitor com relação aos seus personagens e por abordar temas importantes como terrorismo e a forma como as família americanas criam seus filhos. Achei uma leitura válida para quem esta a procura de um suspense melodramático. Leiam!