mm1 mm2 mm3mm4 mm5 mm6 mm7


26
set 2017

ARQUIVADO EM: Literatura

Autor: Kent Haruf

Título Original: Our Souls at Night

Editora: Companhia das Letras

Número de Páginas: 160

Avaliação: 5/5 

Onde comprar:

Sinopse: No pequeno condado de Holt, no Colorado, Addie Moore faz uma visita inesperada a Louis Waters, seu vizinho. Embora não sejam amigos, moram na mesma rua há décadas e sabem um bocado sobre a vida um do outro. O marido de Addie morreu anos atrás, assim como Diane, esposa de Louis. Viúvos e septuagenários, os dois lidam diariamente com noites muito solitárias em suas casas grandes e vazias. Addie, então, propõe a Louis que ele passe a fazer companhia a ela ao cair da noite para ter a alguém com quem conversar antes de dormir. Mesmo surpreso com a iniciativa, Louis aceita o convite e não demora a estabelecer uma nova rotina: assim que escurece, vai à casa da vizinha, tira e dobra suas roupas e veste o pijama. Eles escovam os dentes, deitam-se e conversam até adormecer.

À medida que floresce a amizade entre os dois, as noites começam a parecer menos sombrias. O diálogo se desenrola de forma natural, e eles compartilham histórias, experiências, medos e frustrações. No verão, a casa de Addie fica mais cheia com a chegada do neto, Jamie, cuja presença traz novas oportunidades para que os viúvos possam se aproximar.

Apesar de Addie e Louis se entenderem perfeitamente bem, os vizinhos estranham a movimentação do casal, e não demoram a surgir boatos maldosos pela cidade. Aos poucos, os dois percebem que manter essa relação peculiar talvez não seja tão simples quanto imaginavam.

Publicado pela Companhia das Letras, o livro conta a linda história de Addie e Louis, um casal de viúvos septuagenários, que se vendo sozinhos em suas casas, resolve se encontrar todas as noites no intuito de conversar para aliviar a solidão de suas vidas.

“Não, sexo não. Não é essa a minha ideia.  Acho que perdi todo e qualquer impulso sexual já faz muito tempo. Estou falando de ter uma companhia para atravessar a noite, para esquentar a cama. De nós nos deitarmos na cama juntos e você ficar para passar a noite. As noites são a pior parte. Você não acha?” (Página 9) 

Com uma premissa super fofa e diálogos inteligentes, Nossas Noites é um livro absurdamente lindo e raro, destinado àqueles que apreciam uma boa história de amor.

“A senhora achou tudo, Sra. Joyce? Tudo o que a senhora queria?

Eu não achei um bom homem. Não vi nenhum nas prateleiras. Não, eu não consegui  encontrar nenhum bom homem no seu mercado.

Não? Sabe, às vezes eles estão mais perto do que a gente imagina, ás vezes, pertinho da casa da gente. Ela olhou de relance para Addie, que estava parado ao lado da velha senhora.” (Página 34)

Ao abordar o amor na maturidade, com diálogos tão ricos e carregados de ternura, o autor enche nossos corações de esperança em 160 páginas de puro encanto.

“Eu falei para você. A ideia veio da solidão. Da vontade de conversar durante a noite.

Foi uma coisa corajosa. Você estava correndo um risco. 

Sim, mas, se não funcionasse, eu não ia ficar pior . A não ser pela humilhação de ter sido rejeitada.” (Página 128)

Finalizei a leitura completamente apaixonada. O último romance de Kent Haruf foi escrito com tamanha sensibilidade e delicadeza, que me faltam palavras para descrever a beleza desse enredo. Simples, verdadeiro e lindo. Uma preciosidade! Leiam!

“Quem imaginaria que a essa altura da vida, nós ainda poderíamos ter algo desse tipo? Que afinal ainda existe, sim, espaço para mudanças e entusiasmos na nossa vida. E que nós ainda não estamos acabados nem física nem espiritualmente.” (Página 129)

O livro será adaptado e promete virar uma produção da Netflix em 29 de setembro. Com Jane Fonda e Robert Redford nos papéis principais, o filme certamente será um sucesso.

 

 

 



27
ago 2015

ARQUIVADO EM: Literatura

A editora Companhia das Letras divulgou um trecho inédito do livro “A Garota na teia de Aranha”, quarto volume da série Millennium. Devido a morte do autor Stieg Larsson, quem dá continuidade a série é David Lagercrantz. Essa série é uma das minhas preferidas, os personagens são sensacionais (Lisbeth <3) e a escrita de Larsson totalmente viciante. Estou bem animada para conferir como David Lagercrantz se saiu, espero que ele não mude o jeito de ser de Lisbeth.

Para conferir o trecho disponibilizado pela editora, é só clicar AQUI.

A-garota-na-teia-de-aranhaLisbeth Salander e Mikael Blomkvist estão de volta na aguardada e eletrizante continuação da série Millennium. Neste thriller explosivo, a genial hacker Lisbeth Salander e o jornalista Mikael Blomkvist precisam juntar forças para enfrentar uma nova e terrível ameaça. É tarde da noite e Blomkvist recebe o telefonema de uma fonte confiável, dizendo que tem informações vitais aos Estados Unidos. A fonte está em contato com uma jovem e brilhante hacker – uma hacker parecida com alguém que Blomkvist conhece.

As implicações são assombrosas. Blomkvist, que precisa desesperadamente de um furo para a revista Millennium, pede ajuda a Lisbeth. Ela, como sempre, tem objetivos próprios. EmA Garota na Teia de Aranha, a dupla que já arrebatou mais de 80 milhões de leitores em Os homens que não amavam as mulheres, A menina que brincava com fogo e A rainha do castelo de ar se encontra de novo neste thriller extraordinário e imensamente atual. David Lagercrantz nasceu na Suécia, em 1962. Jornalista, romancista e biógrafo premiado, Lagercrantz foi escolhido para continuar as aventuras de Lisbeth Salander e Mikael Blomkvist.

badge_post_01



8
ago 2015

E a cada mês as editoras aparecem com mais livros lindo e maravilhosos, e eu quero todos eles. Mesmo sabendo que não terei tempo suficiente para ler todos eles nessa vida. Sim, eu sou exagerada.

Neste mês, alguns lançamentos fizeram meu coração bater mais forte, e já estou preparando o cofrinho para a Bienal. Alguns deles vou comprar por lá (fora os que serão lançados na Bienal mesmo, ou seja, ou falir). Vem conferir os meus desejados do momento:

verus

 A Escolha Perfeita do Coração, de Bianca Briones (As Batidas Perdidas #3): Para quem ainda não conhece, já tem resenha do primeiro e do segundo livro dessa série aqui no blog – As batidas Perdidas do CoraçãoO Descompasso Infinito do Coração -, sou muito fã dos livros da Bianca Briones, e estou empolgadíssima para conferir esse. Nesse terceiro volume, Rafa e Vivi voltam a ser os protagonistas. O livro será lançado na Bienal, e quero o meu exemplar com autógrafo!

O Livro de marcar livros, organizado pela Increasy: Esse é amor demais, as meninas da Increasy capricharam e criaram um livro fofo, para anotarmos os livros lidos, desejados, comprados e muito mais. Organizar a vida total! Quero muito!

galera

 A Vingança de Mara Dyer, de Michelle Hodkin (Mara Dyer #3): A conclusão dessa trilogia SENSACIONAL está no topo da minha lista de desejados. O primeiro livro da série me surpreendeu totalmente e me pegou de jeito, o segundo manteve o nivel lá no auto e o terceiro eu espero que seja tão quanto os anteriores! Virei fã. (Tem resenha do 1º volume, A Desconstrução de Mara Dyer no blog).

 Herdeira do Fogo, de Sarah J. Mass (Trono de Vidro #3): Eu li esse livro na Maratona Literária de Inverno, e fiquei inconformada de ter demorado tanto para lê-lo! O livro é INCRÍVEL e já virou favorito (em breve sai a resenha), agora preciso ler o segundo antes de comprar esse terceiro. Mas já quero para hoje.

ciadasletras

 A garota na teia de aranha, de David Lagercrantz: Eu nunca resenhei nenhum livro da série Millenium aqui, mas eles são MARAVILHOSOS, sério. O Stieg Larsson (autor da trilogia) infelizmente faleceu, mas ao David Lagercrantz resolveu escrever uma continuação, e eu estou mega empolgada para lê-la e ver como ficou. <3

 Os bons segredos, de Sarah Dessen: Li só um livro dessa autora, que foi o Just Listen (resenha em vídeo AQUI), mas foi o suficiente para amar a narrativa da autora. 

gutenberg

 Um ano inesquecível, várias autoras: Eu estou apaixonada pela capa desse livro, me passa uma coisa tão boa! E além disso, tem quatro autoras incríveis, Babi Dewet, Bruna Vieira, Thalita Rebouças e Paula Pimenta, difícil não ser bom. <3

 Amor Amargo, de Jennifer Brown: Eu ainda não li nada dessa autora, mas a Pam Gonçalves sempre fala tão bem que estou curiosa, pretendo ler esse primeiro, antes de A Lista Negra, porque a maioria diz que A Lista Negra é melhor. Assim não me decepciono né?

E aí, qual os lançamentos mais desejados por vocês?

badge_post_01



15
jan 2015

ARQUIVADO EM: Sorteios

Oi gente! Vocês conhecem a Val Gouveia né? Ela é colunista aqui no blog, e escrever as resenhas incríveis que são postadas toda segunda-feira. O que talvez vocês não saibam, é que a Val também tem blog, o Simples Assim, lá a Val posta diversas outras resenhas, que não aparecem por aqui. E o mais bacana, é que a Val é bem eclética, então lá você vai encontrar quase todos os gêneros.

sorteio

O sorteio de hoje é em parceria com a Val,vamos sortear o kit do livro Uma página de cada vez, de Adam J. Kurtz. O kit contém um livro, um lápis, um marcador e uma caixinha de lápis de cor, com 12 unidades! <3

O livro é uma fofura, eu tenho um e a idéia é que você faça uma página todos os dias, são reflexões bem bacanas, o livro todo é bem interativo.

Gostou? Então participe, é simples e rápido! Qualquer dúvida é só comentar neste post. 🙂

*** Para que a participação seja válida, é requisito OBRIGATÓRIO curtir a fan page do blog Simples Assim

a Rafflecopter giveaway



5
jan 2015

ARQUIVADO EM: Literatura

abalada A balada de Adam Henry

Autor: Justine Larbalestier

Editora: Companhia das Letras

Número de páginas: 200

Avaliação: 5/5

Poucos autores de língua inglesa são mais importantes na atualidade do que Ian McEwan. Em quarenta anos de carreira, ele compôs marcos da literatura contemporânea, como Amor sem fim (1997), Amsterdam (1998) e Reparação (2001).
Seus livros são conhecidos pela precisão da prosa, pela atmosfera de suspense e estranhamento e também pelas viradas surpreendentes da trama, que puxam o tapete do leitor ao final do livro.
Nos últimos anos, o traço decisivo de sua literatura tem sido a defesa da racionalidade científica contra os fundamentalismos religiosos. É esse o embate que está no cerne de A balada de Adam Henry.
A personagem central é Fiona Maye, uma juíza do Tribunal Superior especialista em Direito da Família. Ela é conhecida pela “imparcialidade divina e inteligência diabólica”, na definição de um colega de magistratura. Mas seu sucesso profissional esconde fracassos na vida privada. Prestes a completar sessenta anos, ela ainda se arrepende de não ter tido filhos e vê seu casamento desmoronar.
Assim que seu marido faz as malas e sai de casa, Fiona tem de lidar com o caso de um garoto de dezessete anos chamado Adam Henry. Ele sofre de leucemia e depende de uma transfusão de sangue para sobreviver. Seus familiares, contudo, são Testemunhas de Jeová e resistem ao procedimento.
O dilema não se resume à decisão judicial. Como nos demais casos que julga, Fiona argumenta com brilho em favor do racionalismo e repele os arroubos do fervor religioso. Mas Adam se insinua de modo inesperado na vida da juíza. Revela-se um garoto culto e sensível e lhe dedica um poema incisivo: “A balada de Adam Henry”.
Os sentimentos despertados pelo garoto a surpreendem e incomodam. A crise doméstica e o envolvimento emocional com Adam – que oscila entre a maternidade reprimida e o desejo sexual – desarrumam sua trajetória de vida exemplar, trilhada com disciplina espartana desde a infância.

Sabe quando você olha pro livro e a capa não tem nada de atrativo? Apesar de ter me sentido atraída pela sinopse (a parte que li), achei que não iria gostar da história. Mas “A balada de Adam Henry”, me surpreendeu.

Fiona é uma juíza durona, está prestes a completar 60 anos quando seu marido chega e diz que gostaria de viver uma relação “aberta”. Quer continuar morando com ela, mas quer ter uma vida sexual com outra mulher, que surpreendentemente, Fiona conhece. Ela fica enlouquecida e mesmo achando que vai sofrer demais, por terem uma vida toda juntos, pede pra que ele vá embora.

Mas Fiona não pode deixar sua vida profissional de lado. São muitos julgamentos, muitos casos importantes para serem julgados e dentre eles, ela tem que julgar o caso de Adam. Um garoto que completa 18 anos em 3 meses, que tem leucemia e é Testemunha de Jeová. Como Adam ainda não tem idade para decidir por si mesmo, seus pais querem impedir que ele receba transfusões de sangue, método que salvará sua vida. Mas que vai contra os preceitos de sua religião.

Fiona resolve que para dar seu veredicto, precisa falar diretamente com Adam, e vai até o hospital. Quando Fiona se encontra com Adam, percebe que mesmo que ele ainda não tenha atingido a maioridade é um rapaz seguro de si, firme em seus propósitos e cheio de sonhos. E a partir disso, ela decide ali, o futuro de Adam. E falar mais que isso não dá.

Mesmo o livro sendo curto, UAU!!! Que história linda e intensa. O autor soube falar sobre religião de uma forma leve. Mas a história toda, depois do encontro entre Fiona e Adam é de tirar o fôlego. Os sentimentos passados pelos personagens me deixaram emocionada. Sabe quando você lê dizendo “não acredito que isso está acontecendo!”?

Talvez a forma com que o livro termine não agrade a todos os leitores, mas eu terminei o livro com a certeza de que não poderia ser diferente. Fiquei tão emocionada que meu marido percebeu quando eu fechava o livro e perguntou o motivo e eu tive que contar a história (de maneira resumida) pra ele.

Esse livro é completamente diferente de todos que li até agora. Mesmo sendo uma obra de ficção, parecia tudo tão real! A escrita do autor é perfeita, inteligente, refinada. Mas não é complexa.

Indico demais a leitura!






ilustrações design e desenvolvimento