Posts arquivados em Tag: Editora Suma de Letras

10 set, 2014

#4anosdeLivroseblablablá – Suma de Letras

E a primeira promoção de aniversário do blog está no ar! São três exemplares e dois ganhadores. O primeiro escolhe dois livros e o terceiro fica com o livro restante.
Os livros participantes são:
  •  It: A Coisa, de Stephen King (resenha da Val em breve aqui no blog)
  • A Casa Noturna, de C.J. Daugherty
  • Entre o Agora e o Nunca, de J.A. Redmerski
Informações Importantes:
1- Para participar é necessário ter endereço de entrega no Brasil.
2- Se inscrever utilizando o formulário Rafflecopter abaixo. (Dúvida? Entre em contato ou leia esse tutorial bem bacana no Icult Gen)
3. A promoção é válida até o dia 27/09/2014. O resultado sai no dia seguinte e o livro será enviado diretamente editora.
4. O ganhador tem 48 horas para responder o e-mail, do contrário um novo sorteio será feito.
 

a Rafflecopter giveaway

PS: Não esqueçam da Pesquisa de Opinião que está rolando, vou adorar se vocês puderem responder! Para responder é só clicar AQUI

03 set, 2014

Entre o agora e o nunca / Entre o agora e o sempre – J. A. Redmerski


Título: Entre o agora e o nunca
Autor: J. A. Redmerski

Editora: Suma de Letras

Número de páginas: 368
Ano: 2014
Sinopse: Camryn Bennett é uma jovem de 20 anos que desistiu do amor desde que Ian, seu namorado, morreu num acidente de carro há um ano. Sua melhor amiga, Natalie, é a única capaz de animá-la. Mas a relação entre as duas fica abalada quando o namorado de Nat revela à Camryn que está apaixonado por ela. Perdida, sem saber o que fazer, Camryn vai para rodoviária e pega o primeiro ônibus interestadual, sem se importar com o destino.
Com uma carteira, um celular e uma pequena bolsa com alguns itens indispensáveis, Camryn embarca para Idaho. Mas o que ela não esperava era conhecer Andrew Parrish, um jovem sedutor e misterioso, a caminho para visitar o pai, que está morrendo de câncer. Andrew se aproxima da companheira de viagem, primeiro para protegê-la, mas logo uma conexão irresistível se forma entre os dois.
Camryn tenta lutar contra o sentimento, já que jurou nunca mais se apaixonar desde a morte de Ian. Andrew também tenta resistir, motivado pelos próprios segredos. Narrado em capítulos que alternam as vozes de Andrew e Camryn, Entre O Agora e O Nunca é uma história de amor e sexo, na qual os personagens testam seus limites, exploram seus desejos e buscam o caminho que os levará à felicidade.
Cam tem 20 anos, perdeu o namorado há um ano em um acidente de carro, logo depois seu irmão seu irmão se envolveu em um acidente de trânsito e matou uma pessoa, não bastasse isso tudo, o namorado de sua melhor amiga se declara pra ela, que acaba sendo acusada de ser culpada disso. Com isso tudo, Cam decide pegar a estrada, sem rumo, sem destino certo.
Dentro do ônibus está Andrew, um cara lindo, diferente, que está indo visitar o pai que está em estágio terminal, com um tumor no cérebro. A vida de Andrew também é cheia de dores e segredos. Assim como Cam, Andrew tem uma grande vontade de viver a vida.
A história toda se desenvolve durante a viagem dos dois. A narrativa é feita pelos dois personagens alternadamente, o que faz com que a gente conheça os dois pontos de vista. Achei os personagens maduros, apesar de terem muitas dúvidas sobre a vida, serem indecisos sobre que rumo tomar (pelo menos a Cam).
Andrew é intenso demais. Tem paixão pela vida, quer aproveitar a vida de todas as formas. Já Cam tem muito medo, por tudo o que viveu, tem medo de se decepcionar ainda mais, de sofrer. O que faz com que ela se questione e sinta medo o tempo todo.
A leitura flui facilmente e quando a gente pensa que tudo é muito fofo, que o livro se refere apenas aos questionamentos e desventuras de Cam…BUM! A autora nos surpreende com um final intenso, chocante e cheio de drama. 
É um new adult com uma trilha sonora linda (Rolling Stones, Beatles e vários outros), o que nos faz ter vontade de ler e ouvir as músicas ao mesmo tempo.
Poderia ter dado cinco estrelas, mas como achei que o final foi muito rápido, abrupto. A autora escreveu o livro inteiro com muitos detalhes, com calma. E o final acabou ficando corrido, partes que poderiam ter mais detalhes, ter desenvolvido muito mais, foi meio que jogado para os leitores.
Ainda assim, indico muito. Personagens fortes e adultos, nada de mocinha chata e insuportável.
A história de Cam e Andrew é linda e intensa.
 ********************************************

Título: Entre o agora e o sempre
Autor: J. A. Redmerski

Editora: Suma de Letras

Número de páginas: 302
Ano: 2014
Sinopse: Camryn Bennett e Andrew Parrish nunca foram tão felizes. Cinco meses depois de se conhecerem num ônibus interestadual, os dois estão noivos e prestes a ter um bebê. Nervosa, mas empolgada, Camryn mal pode esperar para viver o resto de sua vida com Andrew, o homem que ela sabe que vai amá-la para sempre. O futuro só lhes reserva felicidade… até que uma tragédia os surpreende. Andrew não consegue entender como algo tão terrivelmente triste pôde acontecer. Ele tenta superar o trauma — e acredita que Camryn esteja fazendo o mesmo. Mas, quando descobre que Camryn busca sufocar uma dor imensa de uma forma perigosa, fará de tudo para salvá-la. Determinado a provar que o amor dos dois é indestrutível, Andrew decide levar Camryn numa nova jornada carregada de esperança e paixão. O mais difícil será convencê-la a ir junto… Com Entre o agora e o sempre, a aguardada continuação de Entre o agora e o nunca, J. A. Redmerski concluiu a história de amor que encantou milhares de leitores.
Confesso que comecei a ler este segundo livro sem grandes expectativas. O que a autora poderia escrever, o que poderia criar para prender o leitor, sendo que já havia usado todas as “cartas” no primeiro livro? Engano meu.
De início a autora já nos surpreende com mais um baque, envolvendo a gravidez de Cam. O que me levou a pensar: “meu Deus, por mais quantas tragédias Cam e Andrew tem que passar?”. E a própria Cam fala sobre isso no livro. Se pergunta porque tantas coisas ruins acontecem com ela. O que mais falta acontecer? E começa a achar que todas as pessoas que se aproximam, que fazem parte da vida dela vão partir e ela acabará ficando sozinha.
A história mais uma vez tem muita drama, me emocionei em várias passagens. Porque a autora conseguiu fazer com que parecesse uma história real. Personagens humanos. Acontecimentos que permeiam a realidade de muitas pessoas, que realmente condizem com a realidade. E adorei essa intensidade.
O livro tem muita música. Cam e Andrew cantando juntos é muito amor <3.
O livro tem amor, tem drama, tem amizade. Neste segundo livro, Cam tem a chance de retomar sua amizade com Natalie. Lembram a amiga do primeiro livro, que a acusou de ter “seduzido” o namorado? Apesar de Andrew não simpatizar com Natalie, ele não impede que Cam se reaproxime dela e retome a amizade. Essa foi uma das partes que achei linda no livro, o ato do perdão, de passar por cima de mágoas e seguir em frente. De perceber que quando uma amizade vale a pena, a gente deve sim passar relevar algumas coisas e passar por cima de aborrecimentos e decepções.
O que mais tocou durante a leitura foi a devoção e amor de Andrew por Cam, quando descobriu a forma que ela estava usando para extravasar sua dor. Andrew foi companheiro, foi carinhoso, mas ao mesmo tempo foi maduro e direto ao “resgatar” Cam e fazer com que ela encaresse a realidade de frente. Achei linda a forma como Andrew mostrou a Cam como o amor dos dois era forte e resistente.
Apesar do final ser previsível, gostei bastante. O desfecho foi perfeito.

Espero que tenham gostado das resenhas. Caso queiram indicar algum livro pra resenha, é só deixarem a indicação nos comentários. 😉

30 jun, 2014

Misery – Louca Obsessão – Stephen King

Título Original:  Misery – Louca Obsessão
Autor: Stephen King
Número de páginas: 328
Editora:Suma de Letras
ISBN: 9788581052144
Ano: 2014
Avaliação: 4/5

Sinopse: Paul Sheldon é um famoso escritor reconhecido pela série de best-sellers protagonizados por Misery Chastain. No dia em que termina de escrever um novo manuscrito, decide sair para comemorar, apesar da forte nevasca. Após derrapar e sofrer um grave acidente de carro, Paul é resgatado pela enfermeira aposentada Annie Wilkes, que surge em seu caminho. A simpática senhora é também uma leitora voraz que se autointitula a fã número um do autor. No entanto, o desfecho do último livro com a personagem Misery desperta na enfermeira seu lado mais sádico e psicótico. Profundamente abalada, Annie o isola em um quarto e inicia uma série de torturas e ameaças, que só chegarão ao fim quando ele reescrever a narrativa com o final que ela considera apropriado. Ferido e debilitado, em Misery – Louca obsessão, Paul Sheldon terá que usar toda a criatividade para salvar a própria vida e, talvez, escapar deste pesadelo.

Diferente da maioria dos livros do autor, que falam sobre espíritos, demônios e outros temas sobrenaturais, Misery – Louca Obsessão conta a história de uma enfermeira obsessiva por um escritor de sucesso, que deu um fim diferente do desejado por ela à Misery,  personagem principal de uma série de livros escritos por ele.
Durante uma forte nevasca, Paul Sheldon sofre um acidente e é resgatado por sua fã número 1, Annie Wilkes, que o mantém como refém em uma casa afastada da cidade. Annie é macabra, assustadora. Eu que sou fã de livros sobre psicopatas e serial killers, em muitos momentos senti medo dela. Pela naturalidade com que cometia atos de maldade. Como quebrar os pés de Paul para imobilizá-lo ainda mais, bater nas pernas já machucadas com um fardo de papel, amarrar na cama, e a pior parte: fazê-lo queimar o manuscrito de um novo livro escrito por ele, em uma churrasqueira, dentro do quarto.
A primeira publicação do livro no Brasil foi em 1987, com esta capa:
A nova capa é linda. Achei perfeita essa imagem da máquina de escrever na neve, porque retrata de forma fiel, o ambiente em que se passa a história. A Suma de Letras está de parabéns porque o livro todo está perfeito: diagramação, capa, tradução.
A história é narrada em terceira pessoa, pelo ponto de vista de Paul. A máquina de escrever tem um defeito na letra N. E quando mostra a parte do romance que Paul está reescrevendo para Annie, as letras “n” são escritas à mão. Achei fantástico, porque fez parecer bem real.

Na metade do livro, resolvi assistir novamente o filme (já havia assistido há muitos anos), lançado em 1990 com o mesmo nome do livro. E, confesso que achei o filme bem melhor que o livro em muitas partes. O livro acaba ficado cansativo em alguns momentos, repetitivo. Talvez pelo fato de a história toda se passar dentro do quarto de hóspedes de Annie. Mas ainda assim, a trama toda prende muito a atenção da gente, os personagens foram muito bem construídos.

Não achei o final muito empolgante. Mas o livro é tão forte e marcante, que vale muito a pena ler. Diferentemente dos outros livros de Stephen King que em sua grande maioria são muito caros, Misery tem um preço bem acessível ao leitor.
Para quem ainda não leu o livro, aconselho que leiam antes de ver o filme. Acho que essa sequência livro —- filme é ideal.
PS: Espero que estejam gostando das resenhas. Caso tenham preferência por algum gênero, deixem as dicas nos comentários. Quero trazer sempre boas resenhas para vocês. 😉

 

02 jun, 2014

A Aposta – Rachel Van Dyken

Título Original: A Aposta
Autor: Rachel Van Dyken
Número de páginas: 288
Editora: Suma de Letras
ISBN: 9788581052205
Ano: 2014
Nota: 3/5
Sinopse: Kacey deveria ter fugido assim que ouviu essas palavras do milionário Jake Titus. O amigo de infância que Kacey não via há anos é hoje um dos homens mais poderosos e cobiçados de Seattle. E ele precisa de um favor dela: que ela finja ser sua noiva em uma viagem para visitar a avó Nadine, que está muito doente. Kacey aceita sem hesitar, afinal, o que poderia acontecer em apenas quatro dias? Mas o que ela não esperava era reencontrar Travis, o irmão mais velho de Jake, Quando mais novo, ele adorava perturbar Kacey: já incendiou uma boneca, colocou uma cobra em seu saco de dormir. Por isso, recebeu dela o apelido de “Satã”. Mas depois de tantos anos, Kacey se vê diante de um homem lindo, por quem se apaixona no momento em que vê o seu sorriso. O que ela não sabe, no entanto, é que os dois irmãos haviam feito uma aposta quando eram meninos: quem se casasse com Kacey receberia um milhão de dólares. Em “A Aposta”, da autora best-seller do New York Times Rachel Van Dyken, Kacey terá que descobrir qual dos irmãos é o cara certo e fazer sua escolha. Essa é a única certeza que lhe resta.
  
O livro conta a história de três amigos de infância. Jake e Travis sempre foram apaixonados por Tracey, mas ela sempre teve olhos para Jake. Os dois acabaram se envolvendo na faculdade, mas Jake a magoou demais, depois de uma única noite juntos. 
A parte mais irritante, pra mim, é a dúvida da Tracey, entre os dois irmãos, nesse reencontro. Mas talvez porque esteja claro apenas para o leitor, o quanto Travis é fofo e apaixonado por ela. Porém, ela só se lembra do quanto ele infernizava a vida dela, na infância. Tanto que o apelidou de Satã.
Mas tudo o que Travis fazia, era por não saber expressar o amor que sentia por ela, e também, por ser sempre impedido por Jake, quando se aproximava dela, nesse sentido. Na minha opinião, quem merece o apelido de Satã, é Jake. Porque com seu jeito de conquistador, sensual e esperto, não consegue se manter fiel, magoou Tracey no passado e continua magoando. Porque, mesmo o noivado sendo uma farsa, ele continua se encontrando com várias mulheres. 
O que me incomodou um pouco, foi que apesar de os personagens estarem na faixa dos 22/23 anos e terem “cargos” de grande responsabilidade: Jake é presidente da empresa da família (22 anos) e Travis é dono de um rancho de criação de cavalos (23 anos), achei todos imaturos demais.
As brincadeiras entre o trio, principalmente entre Tracey e Travis são desesperadoras, de tão infantis. Não condizem com a idade que têm.Um dos personagens que ganhou meu amor, foi a avó dos irmãos. Ela é moderna, sagaz e apesar dos 87 anos, NAMORA com o vizinho hahahahahaha. Um senhor da mesma idade que ela. Os dois são muito divertidos e engraçados. <3
Gostei do livro. Achei leve e divertido. Não é um dos meus gêneros preferidos (young adult), então não criei muitas expectativas. Sabe aquele livro que a gente pega pra ler, depois de ter lido algo muito denso e profundo? Esse livro é ideal. 😉 
O livro – que é o primeiro de uma série – está sendo lançado este mês pela Suma de Letras, e vocês já podem comprar na pré-venda, no formato físico e também em ebook. Depois de A Aposta, vêm mais dois livros por aí:
Livro 02 – The Wage
Livro 03 – The Dare
Ambos ainda sem tradução para o português. 
27 set, 2013

O palácio da meia-noite – Carlos Ruiz Zafón

Trilogia da Névoa #2
Autor: Carlos Ruiz Zafón                       

Número de páginas: 271
Avaliação: 

O palácio da meia-noite é o segundo livro da Trilogia da Névoa, mas pode com certeza ser lido fora de ordem, já que não é continuação do 1º volume, O Príncipe da Névoa. Acredito que a semelhança se dê pelo fato de novamente um grupo de crianças serem protagonistas e por elas enfrentarem algo sinistro e repleto de mistérios, mas confesso que não sei se esse é o elo de ligação entre os livros que o autor imaginou.

Em 1916 um homem coloca sua vida em risco para salvar dois bebês gêmeos, recém-nascidos. Ele faz de tudo para conseguir entregar as crianças em segurança para a avó, e quando finalmente consegue acaba morrendo. A avó dos bebês, Aryami Bosé, sabe que as crianças – Ben e Sheere – não podem permanecer juntas. Sendo assim, ela entrega Ben a um orfanato e sai pelo mundo com a garota Sheere. 

Ben é um garoto destemido e divertido, no orfanato onde vive ele tem os melhores amigos do mundo. Juntos eles formam a Chowbar Society, um grupo que se reúne todas as noites no Palácio da Meia-Noite e que cuidam uns dos outros como verdadeiros irmãos. No entanto, quando um jovem completa 16 anos é considerado pela sociedade um adulto, e deve abandonar o orfanato. Ben está prestes a completar 16 anos, e na última reunião da Chowbar Society eles conhecem Sheere que acaba se tornando membro do grupo.

Acontece, que o perigo que rondava Ben e Sheere quando era apenas bebês está de volta, um espirito maligno com sede vingança. Com a ajuda dos membros da Chowbar Society, Ben e Sheere vão mergulhar em diversas histórias do passado e enfrentar o temido Pássaro de Fogo.
*******

Zafón é um mestre, sou fã de seus livros (ainda que não tenha lido todos). Essa trilogia é considerada infantojuvenil, mas já ficou claro que pessoas de todas as idades se identificam com a narrativa de Zafón. 

A história é narrada por Ian, um dos membros da Chowbar Society, muitos anos depois do acontecido em 1932. Ele relata seu ponto de vista pessoal sobre os fatos em alguns momentos durante a narrativa, mas a maior parte do livro é narrada em terceira pessoa. Amei essa estratégia, achei muito bacana o narrador não ser Ben ou Sheere. Gostei também de o cenário ser diferente do que Zafón normalmente usa, a história dessa vez se passa em Calcutá, na Índia

A amizade entre as crianças é encantadora, como eles foram criados sem pai e mãe, os membros da Chowbar Society se tornam uma família, e são capazes de darem suas vidas pelo bem estar do outro. Eles temem o perigo, mas ainda assim vão se esforçar ao máximo para proteger Ben e Sheere.

O clima da trama é pesado e um tanto quanto macabro. Como é comum nos livros de Carlos Ruiz Zafón, as coisas não são exatamente o que parecem, e só vamos descobrir o sentido de tudo no final. Confesso que, apesar da aventura empolgante, O Palácio da Meia-Noite não me prendeu tanto quanto O Príncipe da Névoa, não gostei muito do final. Foi como se Zafón não tivesse pensado muito para escrever o final, eu esperava mais, por isso dou quatro estrelas
Entretanto, apesar de não ter exatamente gostado do final, isso não tira o brilhantismo inegável da escrita de Zafón. O Palácio da Meia-Noite é um livro bem escrito e cheio de reviravoltas, recomendo sem sobra de dúvidas. Estou ansiosa para ler As Luzes de Setembro, o terceiro e último volume da trilogia que será lançado pela Suma de Letras em outubro!