mm1 mm2 mm3mm4 mm5 mm6 mm7


26
set 2017

ARQUIVADO EM: Literatura

Autor: Kent Haruf

Título Original: Our Souls at Night

Editora: Companhia das Letras

Número de Páginas: 160

Avaliação: 5/5 

Onde comprar:

Sinopse: No pequeno condado de Holt, no Colorado, Addie Moore faz uma visita inesperada a Louis Waters, seu vizinho. Embora não sejam amigos, moram na mesma rua há décadas e sabem um bocado sobre a vida um do outro. O marido de Addie morreu anos atrás, assim como Diane, esposa de Louis. Viúvos e septuagenários, os dois lidam diariamente com noites muito solitárias em suas casas grandes e vazias. Addie, então, propõe a Louis que ele passe a fazer companhia a ela ao cair da noite para ter a alguém com quem conversar antes de dormir. Mesmo surpreso com a iniciativa, Louis aceita o convite e não demora a estabelecer uma nova rotina: assim que escurece, vai à casa da vizinha, tira e dobra suas roupas e veste o pijama. Eles escovam os dentes, deitam-se e conversam até adormecer.

À medida que floresce a amizade entre os dois, as noites começam a parecer menos sombrias. O diálogo se desenrola de forma natural, e eles compartilham histórias, experiências, medos e frustrações. No verão, a casa de Addie fica mais cheia com a chegada do neto, Jamie, cuja presença traz novas oportunidades para que os viúvos possam se aproximar.

Apesar de Addie e Louis se entenderem perfeitamente bem, os vizinhos estranham a movimentação do casal, e não demoram a surgir boatos maldosos pela cidade. Aos poucos, os dois percebem que manter essa relação peculiar talvez não seja tão simples quanto imaginavam.

Publicado pela Companhia das Letras, o livro conta a linda história de Addie e Louis, um casal de viúvos septuagenários, que se vendo sozinhos em suas casas, resolve se encontrar todas as noites no intuito de conversar para aliviar a solidão de suas vidas.

“Não, sexo não. Não é essa a minha ideia.  Acho que perdi todo e qualquer impulso sexual já faz muito tempo. Estou falando de ter uma companhia para atravessar a noite, para esquentar a cama. De nós nos deitarmos na cama juntos e você ficar para passar a noite. As noites são a pior parte. Você não acha?” (Página 9) 

Com uma premissa super fofa e diálogos inteligentes, Nossas Noites é um livro absurdamente lindo e raro, destinado àqueles que apreciam uma boa história de amor.

“A senhora achou tudo, Sra. Joyce? Tudo o que a senhora queria?

Eu não achei um bom homem. Não vi nenhum nas prateleiras. Não, eu não consegui  encontrar nenhum bom homem no seu mercado.

Não? Sabe, às vezes eles estão mais perto do que a gente imagina, ás vezes, pertinho da casa da gente. Ela olhou de relance para Addie, que estava parado ao lado da velha senhora.” (Página 34)

Ao abordar o amor na maturidade, com diálogos tão ricos e carregados de ternura, o autor enche nossos corações de esperança em 160 páginas de puro encanto.

“Eu falei para você. A ideia veio da solidão. Da vontade de conversar durante a noite.

Foi uma coisa corajosa. Você estava correndo um risco. 

Sim, mas, se não funcionasse, eu não ia ficar pior . A não ser pela humilhação de ter sido rejeitada.” (Página 128)

Finalizei a leitura completamente apaixonada. O último romance de Kent Haruf foi escrito com tamanha sensibilidade e delicadeza, que me faltam palavras para descrever a beleza desse enredo. Simples, verdadeiro e lindo. Uma preciosidade! Leiam!

“Quem imaginaria que a essa altura da vida, nós ainda poderíamos ter algo desse tipo? Que afinal ainda existe, sim, espaço para mudanças e entusiasmos na nossa vida. E que nós ainda não estamos acabados nem física nem espiritualmente.” (Página 129)

O livro será adaptado e promete virar uma produção da Netflix em 29 de setembro. Com Jane Fonda e Robert Redford nos papéis principais, o filme certamente será um sucesso.

 

 

 



22
ago 2017

ARQUIVADO EM: Cinema & TV


Título Original: To the bone

Título no Brasil: O mínimo para viver

Direção: Marti Noxon

Gênero: Drama

Ano de Lançamento: 2017

 

Sinopse: Uma jovem de 20 anos sofrendo de anorexia embarca em uma emocionante jornada de autodescoberta em um grupo liberado por um médico pouco convencional.

Recentemente adicionado ao catálogo do Netflix, O mínimo para viver conta a história de Ellen, uma garota que sofre de um severo distúrbio alimentar.

Ellen, que já passou por quatro internações, esta sob os cuidados de um novo médico que possui um método diferenciado de tratamento.

Lilly Collins esta assustadoramente perfeita no papel principal, e Keanu Reeves dispensa apresentações, apesar de sua tímida interpretação como um médico pouco convencional, ele tem falas brilhantes e questionamentos pontuais, que levam o espectador a pensar na situação de sua paciente.

O Dr.Beckham chega a ser arrogante em sua abordagem, porém, mostra-se bastante eficiente com seus métodos pouco ortodoxos.

“[…]eu não vou te tratar se você não quiser continuar viva.”

O filme mostra sem alarde ou apologia, a vida como ela é. Como verdadeiramente fica uma pessoa acometida por um distúrbio alimentar severo.

Entendo o perigo que um filme que aborda esse tema pode conter,  pois ao pesar na mão, corre-se o sério risco de que haja incentivo ou enaltecimento a doença. O que felizmente não aconteceu.

O que percebemos nesse filme foi uma abordagem clara, cuidadosa e responsável. Assim como todos os efeitos colaterais da doença, nada foi glamourizado, muito menos incentivado.

Outro ponto que achei bastante interessante, foi a inserção de personagens anoréxicos que estão acima do peso, pois ao contrário do que se pensa, não é apenas o esquelético e fisicamente fragilizado que precisa de ajuda quando se trata de um distúrbio alimentar, tendo em vista que trata-se de um transtorno psicológico grave que mata boa parte dos indivíduos. E que ninguém em sã consciência escolhe ficar assim, essas pessoas estão verdadeiramente doentes, precisando de tratamento, e anorexia não é uma escolha.

A meu ver o filme possui algumas falhas, especialmente nas cenas entre mãe e filha. Certas abordagens foram exageradas e até desnecessárias. Mas, entendo a intenção da diretora Marti Noxon, que optou por contar uma história da maneira mais sensível e sincera possível, mostrando a complexidade do problema e quão difícil e delicado é abordá-lo.

Gostei, recomendo! É um bom filme para quem aprecia explorar a obscuridade da mente humana e para aqueles que estão em busca de um filme sincero sobre o tema.

 



4
jul 2017

ARQUIVADO EM: Cinema & TV

Título Original: Kurt Seyit ve Sura

Título no Brasil: Kurt Seyit ve Sura

Criadora: Nermin Beznem

Gênero: Drama, Romance

Ano de Lançamento: 2014

 

Sinopse: Kurt Seyit é um tenente mulherengo bonito, filho mais velho de um rico proprietário de terras da Criméia Turca. Seyit participa de um baile em São Petersburgo e faz uma aposta com seus amigos: Beijará a primeira menina que entrar na sala. Sura é a filha caçula de uma família nobre russa e vêm antes da alta sociedade no baile. Quando Sura entra no salão de baile, eles se apaixonam à primeira vista e logo começam um caso cheio de obstáculos. O pai de Seyit , Mirza Eminof, quer que o seu filho case com uma mulher turca muçulmana para garantir a prole. Por outro lado , a família de Sura quer que ela se case com homem rico e nobre da Rússia.
O amor de ambos é testado pela guerra, mas também comprometido devido às intrigas de Petro Borinsky e Baronesa Lola.

Hoje eu venho indicar para vocês, um romance muito bonito chamado Kurt Seyit ve Sura. Baseada em fatos reais, essa belíssima série de origem turca, irá narrar a história de amor entre o elegante oficial turco Kurt Seyit, e a bela russa Sura. Que se vêem perdidamente apaixonados desde que se encontram pela primeira vez em um baile em São Petersburgo.

Sura, batizada Alexandra Verjenskaya, é uma jovem tímida e recatada, que logo em seu primeiro grande evento social, é arrebatada pelos belos olhos do tenente Kurt Seyit Eminof. Igualmente encantado pela bela jovem, Seyit fará de tudo para conquistá-la.

 

Com um cenário histórico pautado na 1° guerra mundial e nas tensões políticas da época, a trama é repleta de ação e cenas de tirar o fôlego, e também conta com vilões dignos dos melhores folhetins. Petro Borinsky e a Baronesa Lola, serão obstáculos quase intransponíveis, que testarão ao máximo os limites do casal apaixonado.

A série foi baseada nos livros da autora Nermin Bezmen, neta de Kurt Seyit, e a editora Pedra Azul promete publicá-los em breve aqui no Brasil. Tomara!

Facilmente encontrada no atual catálogo do Netflix, a história de amor de Seyit e Sura é de uma pureza sem igual. Com uma trama cativante e cenas belíssimas, essa série é perfeita para quem gosta de enredos com contexto histórico. Se você é um romântico que adora histórias carregadas de ação, drama e muito amor, essa série é mais do que recomendada!



14
mar 2017

ARQUIVADO EM: Cinema & TV


Título Original: Reign

Título no Brasil: Reinado

Criadores: Laurie McCarthy e Stephanie SenGupta

Gênero: Drama/Histórico

Ano de Lançamento: 2013

 

Sinopse: Perigos e intrigas espreitam cada canto desse castelo sombrio nesta história da jovem, Mary, Rainha da Escócia. Depois de passar a infância escondida e segura em um monastério, a adolescente Mary Stuart (Adelaide Kane) chega na França, onde ela foi enviada para garantir a aliança estratégica da Escócia, formalizando seu noivado arranjado com o filho do rei francês, o príncipe Francis (Toby Regbo). Complicando ainda mais as coisas tem Bash (Torrance Coombs), bonito, malandro, meio-irmão de Francis e a mãe, a rainha Catherine (Megan Follows). Quando é obstinada, a rainha descobre uma profecia de que o casamento de Mary e Francis vai custar a vida dele, ela está determinada a salvar o filho, não importa quantas pessoas tenham que pagar com suas vidas.

A série irá narrar à história da ascensão de Mary Stuart, rainha da Escócia.

Prometida em casamento para o príncipe Francis, Mary inicialmente terá que lutar por essa união, uma vez que a mãe do noivo, a rainha Catherine de Médice, é contra, já que seu fiel escudeiro Nostradamus previu que esse matrimônio culminaria na morte de seu amado filho.

Mas, a trama começa mesmo na França, no ano de 1557, quando Mary, descendente legítima de Jaime V, foi criada em um convento para sua segurança desde os 9 anos de idade, sendo constantemente vigiada.

Quando sua provedora come algo envenenado, uma sopa destinada à Mary, certamente enviada por alguém ligado à corte da Inglaterra numa tentativa clara de exterminar a Rainha da Escócia, Mary se vê obrigada a embarcar imediatamente rumo à corte Francesa, uma vez que sua segurança ultrapassou os muros do convento.

Entretanto, não será fácil para ela lidar com os conflitos sociais e políticos que envolvem as duas cortes, ainda mais quando encontra uma rival tão poderosa em seu caminho como Catherine de Médice, que visando proteger o filho da morte iminente, não medirá esforços para impedir essa união.

Baseada na vida da rainha da Escócia, Reign é rica em detalhes históricos, e mesmo não sendo totalmente fiel aos fatos, a série é primorosa  e consegue prender a atenção do telespectador até o fim.

Reign é transmitida originalmente pelo canal The CW desde 17 de outubro de 2013. No Brasil, a série é exibida exclusivamente por streaming com direitos reservados à Netflix desde Novembro de 2015 e esta no ar em sua 4° e última temporada desde fevereiro de 2017.

Repleta de ação, intrigas políticas e perigos iminentes, Reign é uma ótima série para os fãs de romance de época. Recomendo demais!



12
dez 2016

ARQUIVADO EM: Cinema & TV Netflix

good_witch1

Em 2008 eu assisti ao filme The Good Witch (A bruxa do bem, no Brasil) e apesar de já não ser assim tão novinha, me apaixonei pela história de Cassandra Nightingale, uma mulher misteriosa que se muda para a cidadezinha de Middleton, nos EUA. A casa onde Cassandra se muda tem a fama de ser assombrada, e não demora muito para que os habitantes da cidade acreditem que Cassandra é uma bruxa, e queiram que ela saia da cidade o quanto antes. No entanto, o chefe de polícia Jake Russel e seus dois filhos, se encantam por Cassie, e fazem questão de que ela permaneça por lá.

O filme gerou seis continuações: The Good Witch’s Garden (2009) The Good Witch’s Gift (2010), The Good Witch’s Family (2011), The Good Witch’s Charm (2012), The Good Witch’s Destiny (2013) e The Good Witch’s Wonder (2014). Infelizmente não assisti a nenhuma delas, porque não encontrei legendado em lugar nenhum. Se alguém souber onde tem, me avisa!

good_witch2

Além de todos esses filmes, ainda foi criada uma série, que agora está disponibilizada no Netflix, e é sobre ela que quero conversar com vocês. A série, chamada Good Witch, segue a ordem dos filmes (mas quem assistiu somente ao primeiro filme, como eu, vai entender certinho) e continua mostrando a vida de Cassie Nightingale e sua filha Grace, em Middleton. A trama tem início com a mudança de novos vizinhos, o Dr. Sam Radford e seu filho, Nick.

good_witch4

Cassie é amada por toda a cidade, e conhecida pelo seu dom em curar com remédios manipulados, feitos por ela mesma e vendidos em sua loja Bell, Book & Candle. De início, o Dr. Radford não gosta muito de Cassie, já que ele não acredita nesse tipo de tratamento, mas em seguida eles se tornam bons amigos.

good_witch_tv_series_1

A série é fofa, ao estilo sessão da tarde. Tem um clima de comédia e romance, além de mostrar muito o valor da família e dos relacionamentos entre amigos, a mensagem de cada episódios sempre me deixa com o coração aquecido. Já existem duas temporadas disponíveis na Netflix, e a terceira já foi confirmada. Assisti tudo em um final de semana e quando acabou me senti órfã, é o tipo de série que me deixa leve e feliz. Recomendo muito para vocês, e espero que se encantem por ela tanto quanto eu!

good_witch3



6
dez 2016

ARQUIVADO EM: Literatura

Autor: Jay Asher

Título Original: Thirteen Reasons Why

Editora: Ática 

Número de Páginas: 256

Avaliação: 4/5

Onde Comprar: Amazon | Americanas | Saraiva | Submarino

Sinopse: Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra na porta de sua casa um misterioso pacote em seu nome. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes. O garoto ouve as gravações e se dá conta de que elas foram feitas por Hannah Baker – uma colega de classe e antiga paquera que cometeu suicídio duas semanas atrás. Nas fitas, Hannah explica que existem 13 motivos que a levaram à decisão de se matar. Clay é um desses motivos. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.

Hannah Baker é uma menina bonita e popular na escola que ninguém entendeu quando cometeu suicídio. É quando Clay Jensen recebe em sua porta uma caixa repleta de fitas onde Hannah explica os motivos de sua trágica decisão.

Hannah então, começa a contar detalhes de sua vida e sua rotina e os motivos que a fizeram cometer suicídio. Clay incrédulo, ainda não sabe porquê ele esta nas fitas, o que ele teria feito de tão grave para merecer ser punido assim?

“E vocês – o resto – repararam nas cicatrizes que deixaram para trás?

Não. Provavelmente não. Não foi possível. Porque a maioria delas não pode ser vista a olho nu.” (Página 61)

Ao longo dos relatos de Hannah, vamos entendendo melhor tudo o que ela passou  e descobrimos que não foi apenas um fato isolado, foi um somatório de coisas que a levaram a isso.

Bullying, fofocas sem fundamento, maldade de algumas pessoas, tudo isso culminou para sua atitude intempestiva.

“Ninguém sabe ao certo quanto impacto tem na vida dos outros. Muitas vezes não temos noção.” (Pág. 135)

Os 13 porquês é um livro forte que aborda um tema importante de ser discutido, especialmente entre os jovens.

Acredito que nada justificaria um suicídio, sou a favor da vida e que devemos lutar por ela com todas as nossas forças. No entanto, no contexto apresentado pela protagonista, é compreensível que quando uma jovem é agredida ou assediada sem a menor chance de defesa, se vendo acuada e cansada de tanta perseguição ela acabe por tomar uma atitude mais drástica.

“Depois de tudo que eu contei nestas fitas,de tudo o que ocorreu,fiquei pensando em suicídio. Na maioria das vezes, era apenas um pensamento passageiro.

Eu queria morrer.

Pensei nessas palavras muitas vezes. É algo difícil de dizer em voz alta.

 É ainda mais assustador quando você sente que pode estar falando sério.” (Página 217)

 Com certa ressalva, eu recomendo a leitura de Os 13 Porquês para aqueles que são fãs de um bom drama e estão curiosos quanto ao desfecho da história de Hannah e Clay.

O livro teve seus direitos comprados pelo canal a cabo Netflix para virar uma minissérie de 13 episódios sob a produção executiva da cantora/atriz Selena Gomez. A assessoria da artista informou ainda que Selena não irá estrelar a série, apenas produzir. Vamos aguardar essa estreia e ver como Hannah será retratada na TV.



29
nov 2016

ARQUIVADO EM: Cinema & TV

Título Original: Gilmore Girls – A Year in The Life

Título no Brasil: Gilmore Girls – Um Ano para Recordar

Criador: Amy Sherman-Palladino

Gênero: Comédia/Drama

Ano de Lançamento: 2016

 

Sinopse: Bem-vindo de volta a Stars Hollow. Lorelai (Lauren Graham) e Rory (Alexis Bledel) Gilmore, junto com todos os seus divertidos amigos, estão de volta 10 anos depois.

E eu assisti Gilmore Girls – Um Ano Para Recordar, e gente, que maravilhosos foram esses quatro episódios, quantas lembranças, que nostalgia boa, e que final foi aquele?

Calma, eu não vou dar spoiler para quem não assistiu. Quero apenas deixar registrado aqui, o quanto essa série foi importante pra mim, quanta coisa linda ela me ensinou, quantas referências musicais e bibliográficas eu levei para a minha vida.

Parece que cada episódio foi cuidadosamente pensado para nos fazer relembrar, nos emocionar e ficar na expectativa de um verdadeiro desfecho para essa série tão especial.

Porque, convenhamos amigos, quem assistiu as sete temporadas originais não ficou nada satisfeito com o rumo dos acontecimentos em seus capítulos finais. Bom, ao menos a maioria das pessoas que acompanhava a série demonstrou um certo descontentamento quanto a isso.

Nesse especial, Amy Sherman-Palladino toma novamente as rédeas de sua produção, apresentando aos fãs toda a magia e delícia de habitar em Stars Hollow.

Amei rever todos aqueles personagens, alguns ao longo dos quatro episódios, outros com aparições rápidas, mas todos, absolutamente todos os personagens estão de volta nesse revival incrível!

A série começa com trechos de falas de todas as sete temporadas originais, o que foi perfeito, relembrar todos aqueles diálogos ou trechos importantes, foi uma sacada genial para essa estreia.

Confesso que as lágrimas foram inevitáveis. A cada episódio, algo me remetia a primeira vez que vi aqueles personagens, suas cenas e suas histórias, e isso foi acalentador. Esse revival foi um verdadeiro presente para os fãs da série, e aquele final, uau! Que final, minha gente!

Mas, sabe que eu gostei?! Achei o máximo, e quando as famigeradas quatro últimas palavras foram ditas, ao mesmo tempo em que nos surpreende, e desnorteia, foi uma ótima maneira de colocar um ponto final nessa história, deixando os fãs com uma enorme questão para refletir.

De qualquer modo, eu gostei, foi ótimo, foi maravilhoso rever tudo aquilo e acredito mesmo que não teria outra maneira de terminar essa série tão emblemática.

Enfim, se você ainda não conhece ou nunca assistiu Gilmore Girls, assista! Se já assistiu, mate a saudade desses personagens tão queridos e veja os quatro episódios do revival da Netflix.

Divirta-se com as excentricidades dos moradores de Stars Hollow (A melhor cidade cenográfica, ever!), e apaixone-se pelas Garotas Gilmore!



17
out 2016

ARQUIVADO EM: Cinema & TV Netflix

gilmore-girls-2016-2

Eu demorei para começar a assistir Gilmore Girls, lembro que de inicio não me interessava muito pela série. Minha irmã mais velha insistiu bastante para que eu conferisse alguns episódios,  foi então que comecei, e não parei mais.

A trama gira em torno de Lorelai e Rory, mãe e filha respectivamente. Duas personagens sensacionais que ganharam o meu coração, e que me fizeram rir e chorar por diversas vezes. O relacionamento intimo e recheado de companheirismo é o ponto forte da série.

gilmore-girls-2016-1

Sinopse oficial: Lorelai Gilmore (Lauren Graham) tem uma relação tão amigável com sua filha, Rory (Alexis Bladel), que muitas vezes elas são confundidas como irmãs. Entre o relacionamento de Lorelai com seus pais, a nova escola preparatória de Rory, e os romances nas vidas das duas, há muito drama e muita diversão acontecendo.

Gilmore Girls teve inicio em outubro de 2000 e foi finalizada em maio de 2007, completando sete temporadas. E para a alegria dos fãs, a Netflix produziu uma nova temporada, que será lançada no dia 25 de novembro! A oitava temporada de Gilmore Girls terá quatro episódios e vai contar com todo o elenco original: Melissa McCarthy (Sookie), Lauren Graham (Lorelai Gilmore), Alexis Bledel (Rory Gilmore), Jared Padalecki (Dean), Emily Kuroda (Kim), Liza Weil (Paris), Danny Strong (Doyle), Yanic Truesdale (Michael), Scott Patterson (Luke), Kelly Bishop (Emily), Sean Gunn (Kirk), Keiko Agena (Lane), Matt Czuchry(Logan), Milo Ventimiglia (Jess) e até mesmo o cãozinho Paul Anka.

gilmoregirls

Saber que finalmente vamos poder rever todos esses personagens incríveis, me deixa bastante animada. Minhas expectativas estão lá no alto, e espero que eu seja correspondida. Acho um pouco difícil que uma história envolvendo Lorelai e Rory não seja legal.

Neste vídeo o elenco de Gilmore Girls relembra as sete temporadas da série e fala sobre a emoção de estar de volta em “Gilmore Girls: Um ano para recordar”.

Se você ainda não conhece a série, corre para conferir! A Netflix liberou todas as sete temporadas no canal de streaming. Vale a pena maratonar antes do lançamento da nova temporada. 🙂



1
ago 2016

ARQUIVADO EM: Cinema & TV Netflix

Oi gente! Tudo bem? Hoje estou aqui para indicar para vocês a série que ganhou meu coração nos últimos dias, e já se tornou favorita.

Stranger-Things-Illustrated-Poster

Strangers Things é uma série original da Netflix, com oito episódios com cerca de 50 minutos cada. A série se passa em 1983, na cidade ficticia de Hawkins, e conta a história do desaparecimento de Will, um garoto de doze anos que some sem deixar rastros. Sua família e amigos sabem que ele não desaparecia assim, e fazem de tudo para encontrá-lo, contando com a ajuda da policia local. No entanto, as coisas são mais complexas do que todos esperavam, e envolvem forças sobrenaturais, segredos e uma garotinha extremamente estranha.

Quer saber um pouco mais sobre a série? Confere o vídeo que fiz com MUITO amor, em um cenário bem lindo.



13
jul 2016

ARQUIVADO EM: Cinema & TV

Título Original: Gilmore Girls

Título no Brasil: Tal mãe, tal filha

Criador: Amy Sherman-Paladino

Gênero: Comédia/Drama

Ano de Lançamento: 2000

Sinopse: A série conta a história do cotidiano da mãe solteira Lorelai Victoria Gilmore e sua filha Lorelai “Rory” Leigh Gilmore que vivem no pequeno povoado de Stars Hollow, em Connecticut, pequena cidade com personagens bem peculiares e localizada cerca de trinta minutos de Hartford. A série explora diversos assuntos como família, amizades, conflitos geracionais e classes sociais.

Sou suspeita para falar de Gilmore Girls, pois é a melhor série que já assisti na vida e terá sempre um lugar especial no meu coração.

A trama gira em torno das personagens Lorelai e Rory Gilmore. Lorelai é a filha única do abastado casal Emily e Richard Gilmore que engravida aos 16 anos do namorado Christopher Hayden e resolve fugir de casa e criar a filha sozinha, longe dos olhares aparentemente opressores de sua mãe.

É então, que a adolescente muda-se para a pacata cidade de Stars Hollow, onde começa a trabalhar como camareira do hotel local e com a ajuda dos moradores da cidade, ela consegue criar sua filha da melhor maneira possível.

O relacionamento entre mãe e filha é o que mais me encanta na série, Lorelai e Rory são acima de tudo melhores amigas, daquelas que dividem segredos e possuem muitas afinidades, como o vício por café e filmes antigos.

Rory é uma menina doce, inteligente e sensata que sonha estudar na badalada universidade de Harvard. Lorelai, por sua vez, tornou-se uma bem sucedida gerente de hotel e pretende um dia montar seu próprio negócio.

É lindo acompanhar a vida das duas, seu crescimento profissional e pessoal, bem como seus amores, sucessos e fracassos.

A cidade de Stars Hollow possui ainda moradores bem interessantes, como o adorável Luke Danes, dono do restaurante favorito das garotas Gilmore. O Luke’s Dinner possui  segundo elas o melhor café da cidade, por isso não foi difícil tê-las como clientes assíduas do local. Temos ainda, a atrapalhada chef de cozinha Sookie St. James, amiga de Lorelai, trabalham juntas no Independence Inn e sonham em abrir o própria pousada. Lane Kim é outra personagem bastante peculiar, amiga de infância de Rory, Lane é uma adolescente normal, porém, como o considerado adolescente “normal” não é bem aceito por sua mãe, Lane se vê obrigada a esconder dela seus projetos e planos para o futuro.

Eu particularmente gostei bastante do rumo que a série tomou durante os 7 anos em que esteve no ar, mesmo com todas as reviravoltas e incertezas das protagonistas, Amy Sherman-Paladinno fez um belíssimo trabalho escrevendo uma história simples e ao mesmo tempo cativante que conquistou de maneira arrebatadora não só o meu coração, mas o coração de milhões de telespectadores pelo mundo todo.

Em 2016, o canal a cabo Netflix anunciou o retorno da série que ao que parece contará com 4 episódios de 90 minutos, deixando os fãs ainda mais ansiosos para rever Lorelai e Rory em novas aventuras. Vamos aguardar as novidades desse revival de Gilmore Girls e torcer para que seja mais um sucesso dessa dupla tão querida.






ilustrações design e desenvolvimento