mm1 mm2 mm3mm4 mm5 mm6 mm7


14
mar 2017

ARQUIVADO EM: Cinema & TV


Título Original: Reign

Título no Brasil: Reinado

Criadores: Laurie McCarthy e Stephanie SenGupta

Gênero: Drama/Histórico

Ano de Lançamento: 2013

 

Sinopse: Perigos e intrigas espreitam cada canto desse castelo sombrio nesta história da jovem, Mary, Rainha da Escócia. Depois de passar a infância escondida e segura em um monastério, a adolescente Mary Stuart (Adelaide Kane) chega na França, onde ela foi enviada para garantir a aliança estratégica da Escócia, formalizando seu noivado arranjado com o filho do rei francês, o príncipe Francis (Toby Regbo). Complicando ainda mais as coisas tem Bash (Torrance Coombs), bonito, malandro, meio-irmão de Francis e a mãe, a rainha Catherine (Megan Follows). Quando é obstinada, a rainha descobre uma profecia de que o casamento de Mary e Francis vai custar a vida dele, ela está determinada a salvar o filho, não importa quantas pessoas tenham que pagar com suas vidas.

A série irá narrar à história da ascensão de Mary Stuart, rainha da Escócia.

Prometida em casamento para o príncipe Francis, Mary inicialmente terá que lutar por essa união, uma vez que a mãe do noivo, a rainha Catherine de Médice, é contra, já que seu fiel escudeiro Nostradamus previu que esse matrimônio culminaria na morte de seu amado filho.

Mas, a trama começa mesmo na França, no ano de 1557, quando Mary, descendente legítima de Jaime V, foi criada em um convento para sua segurança desde os 9 anos de idade, sendo constantemente vigiada.

Quando sua provedora come algo envenenado, uma sopa destinada à Mary, certamente enviada por alguém ligado à corte da Inglaterra numa tentativa clara de exterminar a Rainha da Escócia, Mary se vê obrigada a embarcar imediatamente rumo à corte Francesa, uma vez que sua segurança ultrapassou os muros do convento.

Entretanto, não será fácil para ela lidar com os conflitos sociais e políticos que envolvem as duas cortes, ainda mais quando encontra uma rival tão poderosa em seu caminho como Catherine de Médice, que visando proteger o filho da morte iminente, não medirá esforços para impedir essa união.

Baseada na vida da rainha da Escócia, Reign é rica em detalhes históricos, e mesmo não sendo totalmente fiel aos fatos, a série é primorosa  e consegue prender a atenção do telespectador até o fim.

Reign é transmitida originalmente pelo canal The CW desde 17 de outubro de 2013. No Brasil, a série é exibida exclusivamente por streaming com direitos reservados à Netflix desde Novembro de 2015 e esta no ar em sua 4° e última temporada desde fevereiro de 2017.

Repleta de ação, intrigas políticas e perigos iminentes, Reign é uma ótima série para os fãs de romance de época. Recomendo demais!



13
ago 2014

ARQUIVADO EM: Literatura
Autor: Patricia Cabot
Editora: Record
Número de páginas: 349
Avaliação: 

Apaixonada pelo capitão Connor Drake, Payton sonha em ser capitã de seu próprio navio. Ela cresceu desejando essa profissão exclusivamente masculina, mas agora deve abdicar disso tudo para conseguir um bom marido. O problema é que Connor só percebe seus sentimentos por Payton na véspera de seu casamento com outra. Quando o barco dos noivos parte rumo às Bahamas, ele é atacado e resta a Payton se infiltrar num navio pirata para salvar a vida do seu amado. A coragem une os dois, e o resgate pode gerar mais frutos do que ela imaginou. (Skoob

 

O ano é 1830, e a protagonista Payton Dixon está prestes a completar dezenove anos. Imagina-se que ela deva ser uma mocinha comportada, acostumada a usar espartilhos e a toda a doçura das damas da época, mas bem, não é assim. Payton cresceu no mar, a bordo dos navios da família, cercada por homens, e se vestindo como eles. Seu linguajar não é nada delicado, e seu maior sonho é capitã de seu próprio navio, e de preferência que seja o “Constant”

 

Seu comportamento não é o habitual, mas sendo a única garota entre quatro irmãos, fica difícil ser diferente. Só que Payton está na idade de se casar, e precisa se vestir – e se comportar – como uma dama. O problema é que a garota não quer encontrar um par, ela é completamente apaixonada pelo capitão Connor Drake, um grande amigo da família, que trabalha para o seu pai, e está de casamento marcado. Connor Drake nunca conseguiu ver Payton como mulher, para ele ela é como uma irmãzinha, apenas uma criança. Isso muda quando ele vê Payton vestida como uma dama, com direito a espartilho – na noite anterior ao seu casamento.

“O charme de Payton estava na sua atitude, na confiança com que se portava, na força graciosa de cada movimento, na incapacidade de ocultar os sentimentos, na transparência de suas emoções através daqueles imensos olhos castanhos…”

Eu amo os livros da Meg como Patricia, acho as histórias lindíssimas e repletas do melhor romance. Apesar de ter gostado de Proposta Inconveniente, me decepcionei um pouco com a trama.

O enredo é muito divertido, temos PIRATAS! Eu amo história de piratas, sempre me empolgo com elas. Combates em navios, embarcações furadas, naufrágios e tudo mais me fascinam, e Proposta Inconveniente tem bastante disso. Em determinada situação, o navio Constant é atacado e Payton precisa se disfarçar para salvar a vida de Drake (não vou entrar em detalhes, pois seriam spoilers).

A ação me convenceu, salvo uma situação ou outra, tudo fez sentido. O que me deixou desapontada foi justamente o romance, não consegui me conectar com Drake e Payton, da forma como sempre me conectei com os casais dos outros livros de Cabot que já li. Drake nunca deu bola para Payton, e de repente, apenas por causa de um espartilho apertado, ele se descobre apaixonado por ela. Foi rápido demais para mim, eu gostaria de um desenvolvimento maior. Sem contar que existem muitas cenas sensuais, totalmente explícitas, que pareceram um pouco sem sentido. De garota sem experiência nenhuma, Payton se torna praticamente uma expert no assunto, em pouquíssimos dias. Faltou romantismo, achei um tanto forçado.

Por sorte, Cabot é uma escritora maravilhosa, e mesmo esse detalhe não impediu que eu curtisse a leitura. A narrativa em terceira pessoa, mescla o ponto de vista de Payton e Drake. Os personagens me agradaram bastante, os três irmãos mais velhos de Payton, e sua cunhada, deram um toque ainda mais divertido à história. Algumas cenas foram pouco trabalhadas, e outras certamente poderiam ter sido cortadas, mas no geral o livro deu certo. 

 
Proposta Inconveniente não é o meu livro preferido de Cabot (o meu preferido é Aprendendo a Seduzir ), mas valeu a pena a leitura. Se você curte o gênero, é uma boa pedida.  
 
Livros da autora com o pseudônimo Patricia Cabot (clique nos links para ler as resenhas):
1. A Rosa do Inverno
3. Proposta Inconveniente.
4. Um pequeno Escândalo – (ainda não lançado no Brasil)
8. The Christmas Captive (ainda não lançado no Brasil)
9. Liberte o meu coração (Assinado como Meg Cabot e Mia Termopholis)



16
set 2011

ARQUIVADO EM: Sem categoria

Editora: Galera 
Autor: Meg Cabot/ Mia Thermopolis

Número de páginas: 
404
Avaliação: 
Onde comprar


Finnula Crais não é uma garota comum, caçula de uma família de seis irmãs e um irmão, ela não quer saber de vestidos, tarefas femininas, casamento e filhos. Seu principal passatempo é caçar. É conhecida na pequena aldeia de Stephensgate pela pontaria perfeita de suas flechas – ela nunca erra o alvo – e por suas excêntricas calças de couro justas. O que faz dela alvo de comentários por toda aldeia.
Mas Finnula não caça apenas por prazer, ela é uma garota de um coração enorme. Suas caçadas ilegais nas terras do conde são para alimentar os empregados que passam dificuldades. Sendo assim ela vive na mira do xerife John de Brissac.

Apesar de caçadora Finn tem a cabeça no lugar, diferente de sua irmã Mellana, a única – além de Finn – que ainda não está casada. Mellana é considerada a mais bonita das irmãs, mas é uma garota fútil, gastou todo o dinheiro de seu dote em vestidos e laços e agora precisa se casar as pressas pois está grávida, de um trovador sem nenhum centavo.
Desesperada Mellana convence Finnula a sequestrar um nobre com muitas posses e pedir um resgate – prática esta comum na época – só assim ela poderá se casar e fugir da ira do irmão mais velho, que certamente matará o trovador se descobrir a gravidez de Mellana. Finn, comovida pelas lágrimas de sua irmã acaba aceitando.

Hugo Fitzstephen está retornando para casa após as cruzadas, barbudo e desmanzelado ele aparenta ter mais idade do que realmente tem. Finn o encontra em uma estalagem e percebe que é um homem rico, sem conhecê-lo ela decide que o homem barbudo é o candidato perfeito para seu sequestro.
Após ser surpreendido pela jovem – extremamente bela e vestida em calças de couro justíssimas – Hugo decide ser um prisioneiro dócil, pois afinal de contas, ele quer mesmo passar um tempo com a garota.
Hugo quer de todo jeito conquistar Finnula, mas fica bem claro que ela não está nem um pouco interessada. Então, o que devia ser um sequestro rápido e tranquilo se transforma em um turbilhão de emoções

— Você acha que sou tola? — ela perguntou. — Que vou ficar extasiada por suas lindas palavras e implorar para você me tomar em seus braços? — ela riu com sarcasmo. — De jeito nenhum!
— Vai ser uma longa noite. — Hugo suspirou. — Longa e fria. Pense no conforto que encontraríamos um nos braços do outro…
Finnula ergueu-se e, com o punho, desferiu um golpe sonoro no meio da testa do cavaleiro, fazendo com que a cabeça dele batesse contra o pé da grade da manjedoura.


Eu AMO Meg Cabot, sou apaixonada por todos os seus livros, em especial por seus romances históricos. Então quando eu vi que Meg Cabot escreveria em “parceria” com Mia Thermopolis (a princesa da Genovia, da série O diário da princesa) eu tive certeza que gostaria deste livro.

Liberte meu coração foi sem dúvidas uma das minhas melhores leituras em 2011. Me apaixonei pelos personagens criados por Meg. Finnula, apesar da época em que vive, é uma garota a frente de seu tempo. Tem um coração doce mas é muito valente e perspicaz. Hugo é o meu preferido, impossível não se apaixonar pelo seu sorriso e galanteios. O romance entre os dois não é forçado, é absolutamente crível.
Mas o que mais me agradou neste livro é que ele é totalmente inusitado! Não é apenas um romance tradicional, além das cenas quentes e apaixonantes, ele é repleto de cenas divertidas, que me tiraram bons sorrisos. E não para por aí, ele ainda tem uma pitada na medida de suspense! 

Quando o livro chegou na metade eu pensei “Que estranho, já poderia acabar aqui” mas Meg Cabot não é diva por acaso, uma reviravolta acontece e faz com que a ação apenas comece. Muita coisa acontece nestas 404 páginas!
Eu mais do que recomendo a leitura, se você ainda não leu nenhum romance histórico de Meg Cabot essa é uma boa oportunidade para começar! 
E espero que vocês gostem de Liberte meu coração tanto quanto eu gostei! E não posso deixar de dizer o quanto eu amei a capa deste livro, na minha opinião, é muito mais bonita do que as outras capas!






ilustrações design e desenvolvimento