INÍCIO QUEM SOMOS RESENHAS CONTATO/POLÍTICAS LIVROS LIDOS EM 2014 ANUNCIE

A guardiã da minha irmã - Jodi Picoult

Editora: Verus   
Autor: Jodi Picoult
Número de páginas: 433

Anna Fitzegerald tem treze anos, apesar de ser extremamente saudável já perdeu a conta de quantas vezes ficou internada, passou cirurgias ou transfusões sanguíneas. Acontece que Anna, foi concebida através de fertilização in-vitro para ser uma doadora perfeitamente compatível com sua irmã Kate. Desde os três anos Kate luta contra a Leucemia, no grau mais elevado e agressivo da doença. Agora aos 16, seus rins começaram a falhar, e ela precisa de um trasplante para tentar sobreviver.
Todos esperam que Anna faça a doação, é o que ela tem feito desde que nasceu, sem nunca questionar. Mas Anna esta cansada, ela quer ter domínio sobre sua própria vida
Sendo assim Anna surpreende a todos quando entra com um processo contra seus pais por uma emancipação médica. Essa decisão vai fragmentar sua família, e colocar em risco a a frágil saúde de Kate.
"- Não bagunce o coreto Anna - Jesse disse amargamente - Todo mundo já decorou o seu papel. Kate é a Mártir, eu sou a Causa Perdida e você a Pacificadora.                                                                                         (... ) Eu o encarei.                                                                                 - Quem disse?"
Este livro mexeu tanto comigo que confesso que nem sei bem como proceder a resenha. Espero que vocês consigam compreender.
A guardiã da minha irmã é uma drama, e eu chorei, mais do que em todo os livros que já li na minha vida. E amei cada segundo desta leitura.
A narrativa vai alternando com cada personagem. Conseguimos perceber exatamente o conflito interno de cada um. Temos Sara, a mãe, que apesar de todo o sofrimento eu não pude me solidarizar com ela, eu não conseguia aceitar o discurso de que para salvar Kate deveria fazer qualquer coisa, não importante a opinião de mais ninguém. Deixando os outros dois filhos em segundo plano. Eu senti raiva dela em diversos momentos.  
Brian é o pai. Um bombeiro dedicado que no íntimo usa sua profissão perigosa e sem rotina para fugir um pouco da realidade, para ficar longe da dor nem que seja só por um momento. Jesse é o irmão mais velho e tem 18 anos,  é rebelde e vive se metendo em confusões. Mas ninguém parece enxergá-lo e a cada dia ele se afunda mais.  
Além da família, temos a perspectiva de Campbell Alexander, o advogado de Anna. Achei ele de fundamental importância. Sua ex namorada do tempo do colégio, Julia, é a curadora ad-litem do processo. São eles que em meio a tanto sofrimento e dor, dão um toque suave. Apesar de eles também estarem em conflito nem de longe se compara a família Fitzegerald.  
Jodi Picoult trata de um assunto tão sério, e triste com uma leveza surpreendente. Ela explica procedimentos de forma simples que é impossível não entender. Você se sente tão envolvido e possivelmente vai se pegar agradecendo a Deus por não ter acontecido isso com sua família. Foi o que eu fiz em boa parte da leitura.
“A gente não ama uma pessoa porque ela é perfeita, ama apesar de ela não ser.”
Eu já tinha assistido ao filme (Uma prova de amor com Cameron Diaz), e posso dizer que a adaptação é boa. Porém, ainda assim eu não estava preparada para o final do livro, não tinha a mais pálida ideia do que aconteceria, é muito diferente do filme. Eu terminei a leitura em choque.
São tantos os questionamentos sobre o que realmente é correto, sobre qual o limite entre o certo e errado para salvar um filho. A frase da contracapa é realmente o que eu me perguntava " É certo fazer o que for preciso para salvar a vida de um filho...mesmo que isso signifique desrespeitar os direitos de outro?"
Eu sinceramente não sei responder.
"- Na minha vida, no entanto o prédio estava pegando fogo, uma das minhas filhas estava lá dentro...e a única oportunidade de salvá-la era mandar minha outra filha, porque ela era a única que sabia o caminho. Eu sabia que estava correndo um risco? Claro. Eu sabia que talvez  isso significasse perder as duas? Sim. Eu entendia que talvez não fosse justo pedir que ela fizesse isso? Sem dúvida. Mas eu também sabia que era a única chance de ficar com as duas. Foi legal? Foi moral? Foi uma loucura, uma tolice, uma crueldade? Não sei. Mas sei que foi o  certo."

O livro tem 432 páginas mas a leitura flui tão bem que quando eu percebi tinha acabado. A Editora Verus caprichou, a revisão esta ótima e a diagramação encantadora. Cada narrador recebeu um fonte, e todas as fontes utilizadas são de fácil leitura e compreensão. 
  
Recomendo a leitura, e já aviso que A guardiã da minha irmã pode mudar a sua forma de ver o mundo. 
Para saber mais informações entre na Fan Page do livro no Facebook.

Não deixem de comentar e deixar a opinião de vocês sobre o assunto. 
E fiquem de olho, hoje a noite entra no ar a promoção valendo um exemplar ^^
Beijos

Pesquisar

Redes Sociais

Facebook

Assista ao último vídeo

Receba as novidades

Coloque o seu e-mail aqui e fique por dentro das novidades do blog (não se preocupe, eu NUNCA vou te enviar spam):

Siga no Bloglovin

Follow on Bloglovin

Arquivo

Blog Parceiro

Estatísticas